Tempo e aspecto verbais e a construção dos sentidos do texto Favola, de Eros Ramazzotti

Leandro Vidal CARNEIRO

Resumo


Neste trabalho, embasados em fundamentos da Semiótica Discursiva e em elocuções sobre Tempo e Aspecto verbais, analisamos como as nuances semânticas destas categorias participam da construção dos sentidos do texto Favola, de Eros Ramazzotti. Pela moral implícita, percebemos que o texto em análise pondera sobre o que seja a felicidade e a vida. Elemento recorrente e ativador de sentidos, o tempo, com todas as suas variadas nuances, é tratado de modo muito especial. Usando as formas de passato remoto, o narrador insere, cronologicamente, na sua narrativa as situações vividas por um sujeito, com o objetivo de sequenciá-las e apresentá-las como fatos acontecidos e verdadeiros, sem se importar com a duração de cada um. Usando as formas do imperfetto e do presente, o narrador se apropria do recurso mais expressivo para o seu escopo: criar os efeitos de eternidade. De fato, o Aspecto imperfectivo, atualizado pelas formas destes Tempos verbais, apresenta no texto o escoar dos eventos através do tempo cronológico; as situações, desse modo, são capturadas em pleno acontecer e, por isso, não têm um limite estabelecido, porque ainda vindouro. Identificamos, ainda, uma cuidadosa seleção de vocábulos que investem no texto uma apurada tessitura metafórica, cujas possibilidades de interpretação são variadíssimas, mas que não devem, a nosso parecer, negligenciar os papéis que os valores semânticos do Tempo e do Aspecto verbais exercem.


Palavras-chave


Tempo e aspecto verbais. Semiótica discursiva. Construção de sentidos.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria semiótica do texto. São Paulo: Ática, 1990.

BERTINETTO, Pier Marco. Il verbo. In: RENZI, Lorenzo; SALVI, Giampaolo; CARDINALETTI, Anna (orgs). Grande grammatica italiana di consultazione, vol. 2. Bolonha: Il Mulino, 1991, pp. 13-161.

______. Tempo, aspetto e azione nel verbo italiano: Il sistema dell’indicativo. Firenze: Accademia della Crusca, 1986.

CORÔA, Maria Luiza Monteiro Sales. O tempo nos verbos em português: uma introdução à sua interpretação semântica. São Paulo: Parábola, 2005.

COSTA, Sônia Bastos Borba. O aspecto em português. 2.ed. São Paulo: Contexto, 1997.

DARDANO, Maurizio; TRIFONE, Pietro. Grammatica italiana con nozioni di linguistica. Bolonha: Zanichelli, 1999.

DUBOIS, Jean et al. Dicionário de linguística. Tradução Frederico Pessoa de Barros et al. 16.ed. São Paulo: Cultrix, 2011.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. 16.ed. São Paulo: Ática, 2002.

FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. 13ª. ed. São Paulo: Contexto, 2005.

RAMAZZOTTI, Eros. Favola. Intérprete: Eros Ramazzotti. In: Eros Ramazzotti. Tutte storie. Roma: Sony/BMG Ariola, 1993. 1 Cd. Faixa 7.

TÓTH, Lászlo. Contributi ai valori dell’imperfetto italiano. Nuova Corvina: Rivista di Italianistica dell’Istituto di Cultura per l’Ungheria, Budapeste, n. 5, p. 247 – 255, 1999.

VARGAS, Maria Valíria. Verbo e práticas discursivas. São Paulo: Contexto, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.7.7.1.264-280

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.