Gestão do multilinguismo no espaço visual público em Foz do Iguaçu: um estudo sobre a visibilidade da diversidade linguística

Isis Ribeiro Berger, Laisla Rafaelly Jardim Elsenbach

Resumo


O presente artigo tem como tema a gestão da diversidade linguística no espaço visual público urbano de Foz do Iguaçu e tem como objetivo analisar e discutir sobre a forma como as diferentes línguas que coexistem no município estão dispostas visualmente na paisagem linguística. A pesquisa foi desenvolvida no ano de 2015, sob a ótica da Paisagem Linguística (Landry; Bouhirs, 1997; GORTER, 2006; SHOHAMY; GORTER, 2009; SPOLSKY, 2009), campo interdisciplinar que possibilita a relação dialógica com saberes de diferentes áreas. Para os fins dessa investigação, foram mobilizados em especial, saberes da Sociolinguística, Política Linguística e Geografia (OLIVEIRA; ALTENHOFEN, 2011; SPOLSKY, 2006; RAFFESTIN, 1993; GOMES, 2013). Norteada por reflexões em torno das condições para a visibilidade das diversas línguas em uso no município, a pesquisa envolveu observação e registros fotográficos para coleta de dados e lançou mão de análise quantitativa e qualitativa para refletir em que medida as diferentes línguas encontram condições para a visibilidade. Os resultados indicam a presença de diferentes línguas na paisagem e apontam para relações assimétricas em relação à disposição visual das línguas, como reflexo das relações de poder entre o inglês, língua hipercentral, e as demais. Para fins de conclusão, argumenta-se que a percepção dessa diversidade depende em grande medida dos sentidos construídos sobre esse multilinguismo, uma vez que há línguas que se encontram em condição de menos visibilidade.

Palavras-chave


Gestão do multilinguismo; espaço visual público; visibilidade

Texto completo:

PDF

Referências


ALTENHOFEN, C. Bases para uma política linguística das línguas minoritárias no Brasil. In: NICHOLAIDES, C. et al.(orgs). Política e Políticas Linguísticas. Campinas: Editora Pontes, 2013.

AIESTARAN, J. CENOZ, J.; GORTER, D. Multilingual cityscapes: perceptions and preferences of the inhabitants of Donostia-SanSebastián. In: SHOHAMY, E. BEN-RAFAEL, E.; BARNI, M. (eds.) Linguistic landscape in the city. Bristol: Multilingual Matters, 2010.

BARNI, M.; BAGNA, C. A mapping technique and the linguistic landscape. In: SHOHAMY, E.; GORTER, D.. Linguistic Landscape: Expanding the Scenery. New York, 2009. p. 126-140.

BEN-RAFAEL, E. A sociological approach to the study of linguistic landscapes. In: SHOHAMY, E.; GORTER, D. Linguistic Landscape: Expanding the Scenery. New York, 2009.

CALVET, L.J. As políticas linguísticas. São Paulo: Parábola Editorial: IPOL, 2007.

CENOZ, J.; GORTER, D. Linguistic Landscape and Minority Languages. In: GORTER, Durk. Linguistic Landscape: A New Approach to Multilingualism. Toronto, 2006.

CLEMENTE, M. R. et al. Linguistic Diversity in Aveiro, Portugal: Exploring Linguistic Landscape Methodologies in the Beira Mar Neighborhood. Internet Campus Latent Corpus Journal. Portugal, v.3, n.1 (2013). Disponível em: Acesso em: 6 jul. 2015.

CRYSTAL, D. English as a Global Language. Second edition. Cambridge, 2003.

FRIEDERICH, P. English in advertising and brand naming. Sociolinguistic considerations and the case or Brazil. English Today. Volume 18, Issue 3. July 2002, p. 21-28.

GARCEZ, P. M; ZILLES, A. M. S. Estrangeirismos: desejos e ameaças. In: FARACO, C. A. (org.). Estrangeirismos: guerra em torno da língua – São Paulo: Parábola Editorial, 2001.

GOMES, P. C. C. O lugar do olhar: elementos para uma Geografia da Visibilidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

GORTER, D. Linguistic Landscape: A New Approach to Multilingualism. Toronto, 2006.

IBGE. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Foz do Iguaçu, estimativa da população 2015. População do município de Foz do Iguaçu. Disponível em: Acesso em: 2 ago. 2015.

IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Guia de Pesquisa e Documentação para o INDL - Inventário Nacional da Diversidade Linguística. Vol. 1: Patrimônio cultural e diversidade linguística. Brasília: IPHAN, 2014. 95 p. Disponível em: < http://issuu.com/designcasa8/docs/ indl_guia_vol.1_21.>

LANDRY, R.; BOURHIS, R. Y. Linguistic Landscape and Ethnolinguistic Vitality: An Empirical Study. Journal of Language and Social Psychology. March 1997 vol. 16 no. 1 p. 23-49. Disponível em : Acesso em: 5 jul. 2015.

MORELLO, R. Leis e línguas no Brasil: O processo de cooficialização e suas potencialidades. Florianópolis, IPOL: 2015.

OLIVEIRA, G. M. Política linguística e internacionalização: a língua portuguesa no mundo globalizado do século XXI. Trabalhos em linguística aplicada., Campinas , v. 52, n. 2, p. 409-433, Dez. 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-18132013000200010&lng=en&nrm=iso> Acesso em 13 fev. 2017.

OLIVEIRA, N. R. O. Foz do Iguaçu intercultural: cotidiano e narrativas de alteridade. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, 2012.

OLIVEIRA, G. M.; ALTENHOFEN, C. O in vitro e o in vivo na política da diversidade linguística no Brasil: inserção e exclusão do plurilinguismo na educação e na sociedade. In: MELLO, H.; ALTENHOFEN, C.; RASO, T. (Org.). Os contatos linguísticos no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

PIRES-SANTOS, M. E. O cenário multilíngue/multidialetal/multicultural de fronteira e o processo identitário “brasiguaio” na escola e no entorno social. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Unicamp, 2004.

RAFFESTIN, C.. Língua e poder. In: _______. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Editora Ática, 1993.

RIBEIRO, I. Atitudes linguísticas e aprendizagem de línguas: um estudo de caso em Foz do Iguaçu. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2007.

BERGER, I. R. Gestão do multi/plurilinguismo em escolas brasileiras na fronteira Brasil – Paraguai: um olhar a partir do Observatório da Educação na Fronteira. Tese (Doutorado) Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

SILVA, M. A. Breve História de Foz do Iguaçu. Foz do Iguaçu, Editora Epígrafe, 2014.

SILVA, I.; PIRES-SANTOS, M.E.; JUNG, N. M. Multilinguismo e política linguística: análise de uma paisagem linguística transfronteiriça. Domínios da Linguagem. vol. 10 n.4 | out./dez. 2016, p. 1257-1277.

SPOLSKY, B. Language Management. UK: Cambridge University. Press, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.7.7.2.433-456

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.