A variação de preposições com verbo ir de movimento em comunidades rurais do semiárido baiano

Hilmara Moura de JESUS

Resumo


Este artigo consiste na análise da regência variável do verbo ir de movimento no dialeto das comunidades de Matinha, distrito de Feira de Santana, Piabas, localizada no município de Caém, antigo distrito de Jacobina, Barra/Bananal e Mato Grosso, na Chapada Diamantina, Casinhas, Tapera e Lagoa do Inácio, em Jeremoabo. Para o desenvolvimento da pesquisa, foi utilizada uma amostra extraída de 72 informantes que compõem o corpus do Projeto “A Língua Portuguesa no Semiárido Baiano”. Baseado no âmbito da Sociolinguística Variacionista, o presente estudo é direcionado para descrever o fenômeno da variação que envolve as preposições a, para e em introduzidas pelo verbo ir de movimento e analisar os fatores condicionantes (linguísticos e sociolinguísticos) do uso dessas preposições. Os resultados apontam indícios de uma mudança praticamente concluída, visto ter-se encontrado apenas seis ocorrências com a preposição a. Dentre as 582 ocorrências que constituem os corpora, destacam-se 418 realizações com a variante para (71%) e 164 com a variante em (29%). O programa estatístico Goldvarb 2001 selecionou as variáveis grau de definitude do nome locativo, permanência no local, pessoa do discurso, comunidade, tempo verbal, sexo/gênero, escolaridade, (in)determinação do sujeito e narratividade do discurso como as determinantes na regência variável do verbo ir de movimento.

Palavras-chave


Variação; Preposições a, para e em; Verbo ir de movimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.2.2.1.306-325

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.