O erotismo místico e a sensualidade da mulher em “mulher nua” de Gilka Machado

Ana Caroline do N Neri, Francisco Xavier de O. NETO

Resumo


Neste trabalho pretendemos estudar, apoiados na noção de erotismo de Castello Branco (1984), no mito de Eros e na noção de impulso erótico como busca de conexão, relatado por Aristófanes em O Banquete, de Platão, o erotismo místico e a sensualidade presentes em poemas de Mulher Nua, de Gilka Machado, livro lançado em 1922, momento em que a literatura brasileira encarava um impasse entre modernidade e tradição. Para tanto, tomamos como amostra os poemas Noutes de Junho e Ancia Multipla, em que analisamos a representação do prazer feminino. A análise mostrou que o uso de elementos sinestésicos e elementos da natureza são essenciais na construção da erotização nos poemas, e que há uma necessidade de união dos seres que se amam para gerar a completude.


Palavras-chave


Erotismo feminino; Gilka Machado; Sensualidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.5.5.3%20esp.169-176

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.