Contar e explicar: competências de escrita de estudantes de 5.º ano numa escola multicultural portuguesa

Teresa Costa-Pereira, Inês Alves, Otília Sousa

Resumo


A competência de escrita é necessária e transversal a todas as áreas do currículo. A escrita é a mais complexa das atividades de linguagem e pode transformar-se num desafio tanto mais exigente quanto os alunos estiverem distantes da cultura letrada. Escrever e ensinar a escrever devem, por isso, ser práticas assíduas na sala de aula. Neste estudo, realizado no ano letivo de 2018-2019, em duas turmas de 5º ano de escolaridade, faz-se uma análise diagnóstica das competências de escrita compositiva (narração e exposição) (PETERSON; McCABE, 1991; SOUSA, 2015; MEYER, 1985) e ortográfica (RAVID; TOLCHINSKY, 2002; VALE; SOUSA, no prelo). São objetos de análise a qualidade textual, estrutura e microestruturas textuais e desvios na escrita de palavras. O estudo foi realizado num Agrupamento TEIP (Territórios Educativos de Intervenção Prioritária) da região de Lisboa e teve como objetivos i) investigar a competência narrativa, ii) investigar a competência expositiva e iii) analisar as habilidades ortográficas (escrita de palavras) de alunos de 5º ano de escolaridade. Foram elicitados textos narrativos e expositivos e analisados a qualidade textual e os erros de escrita de palavras. Os resultados revelam que os alunos apresentam mais dificuldades na escrita de textos expositivos do que na escrita de textos narrativos. Revelam, também, que os erros ortográficos e os erros de acentuação gráfica são áreas a precisar de intervenção. Discute-se a relevância prática dos resultados, tanto no ensino, como na formação de professores.


Palavras-chave


Qualidade textual. Texto narrativo. Texto expositivo. Erros ortográficos.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAM, J-M. A linguística textual: uma introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Cortez, 2008.

ADAM, J-M. Les textes: types et prototypes. Paris: Nathan, 1992.

ALVES, I. Avaliar competências de escrita: Contar e explicar no 5.º ano de Escolaridade. (Dissertação) (Mestrado em Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2.º Ciclo do Ensino Básico) Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Lisboa, 2019. Disponível em: https://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/10987/1/Relat%c3%b3rio%20final%20-%20In%c3%aas%20Filipa%20Coelho%20Alves.pdf

ALVES, R. A; LIMPO, T. Progress in Written Language Bursts, Pauses, Transcription, and Written Composition Across Schooling, Scientific Studies of Reading, v.19, n.5 p.374 - 391. 2015. doi: 10.1080/10888438.2015.1059838.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARBEIRO, C. A leitura detalhada – estratégias internacionais de compreensão e aprofundamento da leitura. In: SOUSA, O.; et al.(Coords.). Investigação e Práticas em Leitura. Lisboa: CIED,2020. p. 111-125.

BEAUGRANDE, R.; DRESSLER, W. Introduction to Text Linguistics. London: Longman, 1981.

BRAVO, M.; CERVETTI, G. Teaching vocabulary through text and experience in content areas. A. Farstrup & J. Samuels (Eds.), What research has to say about vocabulary instruction. Newark: International Reading Association. 2008. p. 130-149.

CAMPOS, M. H. Dever e Poder: um subsistema modal do português. Lisboa: Fundação C. Gulbenkian/JNICT, 1998.

CARDOSO-MARTINS, C.; GONÇALVES, D.T. Funil” ou” Funiu”?: um estudo exploratório sobre o desenvolvimento do conhecimento de padrões ortográficos de natureza morfossintática em português brasileiro. Da investigação às práticas, v.7, n. 3, p. 41-60, 2017.

CARVALHO, J. A. A escrita na escola: uma visão integradora. Interacções, v. 27, p. 186-206, 2013.

CASTELO, A.; SOUSA, O. Desempenho ortográfico em estudantes do ensino superior – a acentuação gráfica. Da Investigação às Práticas: Estudos Educacionais, v.7, n.3, p. 84-107, 2017.

CHAROLLES, M. Enseignement du Récit et Cohérence du Texte. Langue Française, v. 38, p.7-41, 1978.

COSTA-PEREIRA, T. Ler e escrever para construir conhecimento. (Tese) (Doutoramento em Formação de Professores de Línguas) Instituto de Educação, Universidade de Lisboa, 2019. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/42272

COSTA-PEREIRA, T.; FARIA, C.; SOUSA, O. A função epistémica da escrita: aprendizagens de conteúdos e de escrita associadas ao trabalho de projeto em Estudo do Meio. Acta Scientiarum - Language and Culture, v.41, n.1, p. 1-12, 2019.

COSTA-PEREIRA, T.; SOUSA, O. Escrever para aprender: do questionamento à construção de conhecimento. D. MATOS (org.). Linguística e Ensino: Teoria e Método. João Pessoa: Editora UFPB. 2018. p. 131-154.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation (tome1). Paris: Ophrys, 1990.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation (tome2). Paris: Ophrys,1999.

DALLA VECHIA, A.; JUNG, N.; PETERMANN, R. Letramento escolar: Interculturalidade e poder na produção de um artigo de opinião no ensino médio integrado. Entrepalavras, v.9, n.3, p. 297-323, 2019.

DOCKRELL, J.; et al. Teaching and learning in a multilingual Europe: findings from a cross-European study. European Journal of Psychology of Education, p. 1-28. 2021. https://doi.org/10.1007/s10212-020-00523-z

DUARTE, I. M. Do saber ao ensinar: em torno dos verbos introdutores de discurso relatado. In Fonseca, F., Duarte, I., Figueiredo, O. (org.). A Linguística na Formação do Professor de Português: actas do Colóquio. Centro de Linguística da Universidade do Porto. 2001. p. 125-134.

DYMOCK, S.; NICHOLSON, T. “High 5!” Strategies to Enhance Comprehension of Expository Text. The Reading Teacher, v.64, n.3, p. 166–178, 2010. Disponível em: http://doi.org/10.1598/RT.64.3.2

FÁVERO, L. Coesão e coerência textuais. 11. ed. São Paulo: Ática, 2006.

FAYOL, M. Le Récit et sa Construction. Paris: Nathan, 1985.

FONSECA, F.I. Deixis, tempo e narração. Porto: Fundação Engenheiro António de Almeida, 1992.

GOLDMAN, S.; & PELLEGRINO, J. Research on Learning and Instruction: Implications for Curriculum, Instruction, and Assessment. Policy Insights from the Behavioral and Brain Sciences, v.2, n.1, p. 33–41, 2015.

GRAHAM, S.; SANTANGELO, T. Does spelling instruction make students better spellers, readers, and writers? A meta-analytic review. Read. Writ. V.27, p.703–1743,2014. doi: 10.1007/s11145-014-9517-0

HALLIDAY, M. A. K.; HASAN, R. Cohesion in English. Londres: Longman, 1984.

HALLIDAY, M. Towards a Language-Based Theory of Learning. Linguistics and Education, v.5, p.93-116, 1993.

KELLOGG, R. Training Writing Skills: a Cognitive Developmental Perspective. Journal of Writing Research, v. 1, p. 1-26, 2008.

MARNY, V.; DOLZ, J.; SILVA-HARDMEYER, C. Les genres textuels dans la formation. J. Dolz & R. Gagnon (Dir.), Former à la production écrite Lille: Presses Universitaires du Septentrion. 2018. p.287-306.

MARTIN-CHANG, S.; OUELLETTE; MADDEN, M. Does poor spelling equate to slow reading? The relationship between reading, spelling, and orthographic quality. Reading and Writing, v.27, p. 1485-1505, 2014.

MEYER, B. Prose analysis: Purposes, procedures, and problems. B. K. Britton & J. Black (Eds.), Analysing and understanding expository text. Hillsdale, NJ: Erlbaum. 1985. p. 11-64.

MIGUEL, E. S. Los Textos Expositivos. Madrid: Santillana, 1993.

NAGY, W.; et al. Words as tools: Learning academic vocabulary as language acquisition. Reading Research Quarterly, v.47, n.1, p.91–108, 2012.

OLSON, D. R. The world on paper. Nova Iorque: Cambridge University Press, 1994.

PEREIRA, I. S. P. Desenvolver competências linguísticas para aprender a construir o conhecimento escolar.  In: Sousa, O.; Cardoso, A. (Eds.). Desenvolver Competências em Língua Portuguesa Lisboa: CIED, 2008. p. 173-200.

PETERSON,C.; McCABE,A. Linking children’s connective use and narrative macrostructure. In: C. Peterson & A. McCabe (Eds.), Developing narrative structure Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 1991. p. 29-54.

POLLO, T.; TREIMAN, R.; KESSLER, B. Uma revisão crítica de três perspectivas sobre o desenvolvimento da escrita. Estud. psicol., Campinas [online]. v.32, n.3, p. 449-459, 2015.

RAKHLIN, N.,et al.. Orthographic processing is a key predictor of reading fluency in good and poor readers in a transparent orthography. Contemporary Educational Psychology, n.56, p.250–261, 2019.

RAVID, D.; TOLCHINSKY, L. Developing linguistic literacy: A comprehensive model. Journal of Child Language, n.29, p.419–448, 2002.

ROJAS, S.; MENESES, A.; MIGUEL, E. Teachers’ scaffolding science reading comprehension in low-income schools: how to improve achievement in science, International Journal of Science Education, v.41, n.13, p.1827-1847, 2019. DOI: 10.1080/09500693.2019.1641855

SILVA, A.; DIAS, L. Um estudo valiável do rótico em escrita escolar. Entrepalavras, v.10, n.2, p. 1-24,2020.

SILVA, M.E. O Desenvolvimento da competência narrativa – uma análise de narrativas orais e escritas por sujeitos de 6, 7, 8, 9, 11 e 14 anos. Tese (mestrado em Linguística), FCSH, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2002.

SOUSA, Ó. Competência Ortográfica-Competências Linguísticas. Lisboa: ISPA, 1999.

SOUSA, Ó. Percurso Escolar e Ortografia. In Rogério Fernandes & Luís Vidigal (Cood). Infantia et Pueritia. Introdução à História da Infância em Portugal. Santarém: ESES, 2005.p.265-273

SOUSA, O. Desenvolvimento da competência narrativa. In Sousa, O.; Cardoso, A. (eds). Desenvolver competências em Língua Portuguesa Lisboa: CIED.2008. p.13-52.

SOUSA, O. Discurso relatado: construção das vozes do texto por alunos do 2º e 4º ano de escolaridade. In Nunes, A., Souza, F. & Pontes, V. Ensino na Educação Básica, Vol.II Natal: Editora IFRN. 2018. p.388-406.

SOUSA, O. Emergência e desenvolvimento de relações de causalidade em narrativas de crianças. Filologia e Linguística Portuguesa, v.12, n.1, 91-104, 2010.

SOUSA, O. Tempo e Aspecto: o Imperfeito num corpus de aquisição. Lisboa: Colibri/IPL. 2007.

SOUSA, O. Textos e Contextos: Leitura, Escrita e Cultura Letrada. Porto, Portugal: Media XXI, 2015.

SPINILLO, A.G.; MELO, K.L.R. O papel do conhecimento acerca da estrutura do texto na escrita de histórias por crianças. Educar em Revista, v.34, n.69, p. 277-292, 2018.

TEBEROSKY, A. El aprendizaje de la ortografía, un suplemento a la escritura. Da investigação às práticas: estudos de natureza educacional, v.7, n.3, p.9-25, 2017.

TEBEROSKY, A.; SEPÚLVEDA A.; SOUSA, O. Orality, Reading and Writing in Early Literacy. In: Alves R., Limpo T., Joshi R. (eds.) Reading-Writing Connections. Literacy Studies. Perspectives from Cognitive Neurosciences, Linguistics, Psychology and Education), v. 19. Springer, 2020. p.85-105. 

THE NEW LONDON GROUP. A Pedagogy of Multiliteracies: Designing Social Futures. Harvard Educational Review, 66 (1), p.60-92. 1996

TODOROV,T. Poétique. Paris: Seuil, 1973.

TREIMAN, R. Teaching and Learning Spelling. Child Dev Perspect, v.12, p.235-239, 2018. https://doi.org/10.1111/cdep.12292

TREIMAN, R., et al. Statistical learning and spelling: Evidence from Brazilian prephonological spellers, Cognition, v.182, p.1-7, 2019.

VALE, A.P.; SOUSA, J. Tipo de erros e dificuldades na escrita de palavras de crianças portuguesas com dislexia. Da investigação às práticas: estudos de natureza educacional, v.7 n.3, p.61-83, 2017.

VALE, A.P.; SOUSA. O. A análise dos erros ortográficos como instrumento para compreender o desenvolvimento e apoiar o ensino da escrita. In: SARGIANI, R.A. (Ed.) Como as crianças aprendem a ler e escrever e como ensiná-las eficazmente: um guia teórico-prático baseado em evidências científicas. ArtMed/Penso. p.52-69 (aprovado, 2021).

VIANA, F. L., et al. Aprender a compreender. Da teoria à prática pedagógica. Exedra, p.447–465, 2012. Disponível em: http://www.exedrajournal.com/exedrajournal/wp-content/uploads/2013/01/36-numero-tematico-2012.pdf.

VYGOTSKY, L. S. Mind in society. Cambridge: Harvard University Press, 1984.

WATSON, S., et al. Evidence-Based Strategies for Improving the Reading Comprehension of Secondary Students: Implications for Students with Learning Disabilities. Learning Disabilities Research & Practice, V.27, N.2, p.79–89, 2012.

WEINRICH, H. Le Temps. Paris: Seuil, 1973.

ZAMMIT, K. Extending Students’ Semiotic Understandings: Learning About and Creating Multimodal Texts. In P. P. TRIFONAS (Ed.), International Handbook of Semiotics (p. 1291-1308). New York, London: Springe. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-22358

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.