O dicionário como ferramenta para o ensino de argumentação

Christian Plantin, Rubens Damasceno-Morais

Resumo


Este artigo busca apresentar a gênese e metodologia de elaboração de um dicionário de noções (PLANTIN, 2016) e, ainda, trazer à luz os fundamentos, processo de elaboração do dicionário, inédito, específico dos estudos em argumentação e retórica. Ao desnudar o conjunto teórico que compõe o material (Nova retórica, Lógica substancial, Teoria da argumentação na língua, Lógica natural, Teoria das falácias, Lógica informal, Teoria Pragmadialética, o estudo da argumentação nas interações verbais, entre outros), o objetivo deste artigo é apresentar as funcionalidades de um dicionário-instrumento, especializado, para o ensino da argumentação, sobretudo em níveis academicamente mais avançados, como graduação, pós-graduação e pesquisas em geral e que tenham pelo vasto e complexo campo da argumentação algum tipo de interesse. Este artigo tem, assim, o propósito de discutir a importância do uso de dicionários em sala de aula, sua utilidade para a aprendizagem da argumentação e para prática da leitura e escrita críticas. Apresentam-se, ainda, princípios e critérios que nortearam a elaboração do vocabulário, além de se discutir a argumentação como atividade linguageira; o modo como os verbetes são organicamente integrados ao conjunto do livro; a importância da interação argumentativa; a situação argumentativa como eixo norteador de toda a obra; a argumentação como atividade intersubjetiva (epistêmica, afetiva e emocional) e, ainda, a argumentação como atividade crítica. O artigo apresenta, enfim, o percurso de elaboração do texto original, que já conta com a versão em português em processo de elaboração e tradução, além da versão para o espanhol.


Palavras-chave


Argumentação. Dicionário de noções. Vocabulário. Interação argumentativa.

Texto completo:

PDF

Referências


EEMEREN et al. Handbook of Argumentation Theory. Amsterdan: Springer Reference, 2014.

EEMEREN, F. H.; GROOTENDORST, R. Argumentation, communication, and fallacies: A pragma-dialectical perspective. Amsterdam: Lawrence Erlbaum Associates, Inc., 1992.

MEREN, F. H. van; GROOTENDORST R. Speech Acts in Argumentative Discussions: A theoretical model for the analysis of discussions directed towards solving conflicts of opinion. Dordrecht: Foris, 1984.

HAMBLIN, C. L. Fallacies. Londres: Methuen., 1970.

HEDGE, L. Elements of Logic, or a Summary of the General Principles and Different modes of Reasoning. Boston: Hilliar, 1838.

KRAMER, Samujel Noah. L’histoire commence à Sumer. Paris: Arthaud, 1957.

PLANTIN, Christian. Dictionary of Argumentation - an Introduction to Argumentation Studies - With a Foreword by J. Anthony Blair. Translation and adaptation of Christian Plantin’s Dictionnaire de l’argumentation, Lyon (2016). London: College Publications, 2018.

PLANTIN, Christian. Dictionnaire de l’argumentation – une introduction aux études d’argumentation. Lyon: ENS Éditions, 2016.

PLANTIN, Christian. Les bonnes raisons des émotions – principes et méthode pour l’étude du discours émotionné. Berne: Peter Lang, Sciences pour la communication, 2011.

TERSIS Nicole; PLANTIN, Christian. Attack, Defense and Counter-Attack in the Inuit Duel Songs of Ammassalik. In: PLANTIN, Christian. (ed). Argumentation through Languages and Cultures. Argumentation, 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-10esp2102

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.