Ideologias e políticas linguísticas – uma análise da obra Amik loves school: a story of wisdom

Layssa Gabriela Almeida e Silva Mello, Carla Janaina Figueredo

Resumo


Neste artigo, utilizaremos a obra Amik loves school: a story of wisdom (VERMETTE, 2015a) como motivadora para refletir sobre questões referentes a ideologias de linguagem (WOOLARD, 1998;KROSKRITY, 2004; BAKHTIN, 2009), colonização (HELLER; MCELHINNY, 2017), apagamento (IRVINE; GAL, 2000) e, assim, problematizar algumas políticas linguísticas canadenses, tal como o Indian Act (1876). Segundo o referido documento, a educação escolar indígena deveria seguir os moldes linguísticos e culturais das identidades brancas europeias, o que fortaleceu ideologias imperialistas que deslegitimavam as línguas e culturas das primeiras nações canadenses em contextos como as residential schools. Katherena Vermette revela, no entanto, que sua obra literária é construída de modo a promover ações de ruptura com tais processos de assimilação, as quais pretendem envolver o seu público não somente com personagens indígenas e suas histórias, mas, sobretudo, com reflexões capazes de desconstruir ideologias imperialistas ao mesmo tempo em que valoriza as identidades linguísticas e culturais dos povos indígenas. O texto de Vermette nos lembra a trajetória de povos indígenas brasileiros em tempos de colonização e de atual condição subalterna. Sendo assim, as semelhanças históricas e socioculturais compartilhadas por etnias canadenses e brasileiras nos levam a crer que a leitura e a discussão da obra de Vermette em contextos de ensino-aprendizagem de inglês no Brasil podem promover espaços para o diálogo entre diferentes línguas e culturas e a sua valorização pelos aprendizes.


Palavras-chave


Ideologias de Linguagem. Políticas Linguísticas. Práticas Decoloniais.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAR, M. Culture: can you take it anywhere? International Journal of Qualitative Methods, v. 5, n. 2, p. 1-16, June 2006.

BAKHTIN, M. (VOLOCHINOV). Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 13ª ed. São Paulo: Hucitec, 2009.

BLOMMAERT, J. Language Ideology. In: BROWN, K. (ed.). Encyclopedia of Language & Linguistics, vol. 6, 2006, p. 510-522.

BLOMMAERT, J. Ideologias linguísticas e poder. Trad. Ive Brunelli. In: SILVA, D. N.; FERREIRA, D. M. M.; ALENCAR, C. N. Nova Pragmática: modos de fazer. São Paulo: Cortez, 2014. p. 67-77.

CANADA. Indian Act. Office Consolidation. Toronto, Canadá, 1876.

CANADA. First Nations in Canadá. 2017. Disponível em: https://www.rcaanccirnac.gc.ca/eng/1307460755710/1536862806124#chp0. Acesso em: 29 jun. 2019.

CANÇADO, M. Um estudo sobre a pesquisa etnográfica em sala de aula. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 23, p. 55-69, 1994.

CANDAU, V. M. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. In: CANDAU, V. M. (org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

FIGUEREDO, C. J. Inglês como segunda língua-cultura: por uma pedagogia crítica e dialógica da apropriação. Veredas (UFJF. Online), v. 2, p. 302-320, 2014.

HELLER, M.; MCELHINNY; B. Language in Late Capitalism: Intensifications, unruly desires, and alternative worlds. In: HELLER, M.; MCELHINNY; B. Language, capitalism, colonialism: toward a critical history. Toronto: University of Toronto Press, 2017. p. 227-260.

IRVINE, J. T.; GAL, S. Language ideology and linguistic differentiation. In: KROSKRITY, P. V. (ed.). Regimes of Language: ideologies, polities and identities. Santa Fe, New Mexico: School of American Research Press, 2000. p. 35-83.

KENNEDY, D. Recollections of an Assiniboine Chief. McClelland and Stewart, 1972.

KROSKRITY, P. V. Language Ideologies. In: DURANTI, A. (ed.). A companion to Linguistic Anthropology. Oxford: Blackwell Publishing, 2004. p. 496-517.

LEWIS, J. Katherena Vermette. 2018. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/katherena-vermette. Acesso em: 31 maio 2019.

MIGNOLO, W. D. Contexts: Coloniality is far from over, and so must be decoloniality. Afterall: A Journal of Art, Content and Enquiry, 43, 2007, p. 39-45.

MILLER, J. R.; MARSHALL, T.; GALLANT, D. Residential Schools in Canada. 2012. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/residential-schools. Acesso em: 07 dez. 2020.

MILROY, J. Ideologias Linguísticas e as consequências da padronização. Trad. Marcos Bagno. In: LAGARES, X. C.; BAGNO, M. (orgs.). Políticas da norma e conflitos linguísticos. São Paulo: Parábola, 2011. p. 49-87.

NASCIMENTO, A. M. O potencial contra-hegemônico do rap indígena na América Latina sob a perspectiva decolonial. Polifonia, Cuiabá - MT, v. 21, n. 29, p. 91-127, jan-jul, 2014.

NASCIMENTO, A. M. Português intercultural: fundamentos para a educação linguística de professores e professoras indígenas em formação superior específica numa perspectiva intercultural. 2012. 477 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística), Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012.

PENNYCOOK, A. The Cultural Politics of English as an International Language. London: Longman, 1994.

PHILIPSON, R. Linguistic Imperialism. Oxford: Oxford University Press, 1992.

RAJAGOPALAN, K. A geopolítica da língua inglesa e seus reflexos no Brasil: por uma política prudente e propositiva. In: LACOSTE, Y. (org.); RAJAGOPALAN, K. A Geopolítica do Inglês. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 135-159.

REES, D. K.; PINTO, D. J. P. In between the mestizo and the mestiço: multiple readings of Gloria Anzaldúa in a Brazilian EFL literature classroom. English Quarterly, v. 44, p. 81, 2014.

ROSA, J.; FLORES, N. Unsettling race and language: toward a raciolinguistic perspective. Language and Society, 46(5), 2017, p. 621-647.

STEGER, J. Katherena Vermette: my responsibility in my novel was to the Metis women. The Sidney Morning Herald, 2018. Disponível em: https://www.smh.com.au/entertainment/books/katherena-vermette-my-responsibility-in-my-novel-was-to-canadas-metis-women-20180806-h13lta.html. Acesso em: 07 jul. 2019.

VERMETTE, K. Kode’s Quest(ion): a story of respect. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2014a.

VERMETTE, K. Singing Sisters: a story of humility. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2014b.

VERMETTE, K. The First Day: a story of courage. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2014c.

VERMETTE, K. The Just Right Gift: a story of love. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2014d.

VERMETTE, K. Amik Loves School: a story of wisdom. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2015a.

VERMETTE, K. Misaabe’s Stories: a story of honesty. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2015b.

VERMETTE, K. What is Truth, Betsy?: a story of truth. Illustrated by Irene Kuziw. Winnipeg, Canada: Highwater Press, 2015c.

VITENTI, L. D. P. Legislação indigenista canadense e poder tutelar: o caso atikamekw, Anuário Antropológico, I, 2017, p. 171-193.

WALSH, C. Interculturalidade, Crítica e Pedagogia Decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In: CANDAU, V. M. (org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

WOOLARD, K. Introduction: language ideology as a field of inquiry. In: SCHIEFFELIN, B.; WOOLARD, K. A.; KROSKRITY, P. V. (eds.). Language Ideologies: practice and theory. New York/Oxford: Oxford University Press, 1998. p. 3-47.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-22019

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.