A (im)precisão dos sentidos: uma reflexão acerca da ambiguidade pela ótica discursiva

Michele Teixeira Passini, MICHELE PASSINI

Resumo


O presente artigo tem o objetivo de realizar uma reflexão acerca do fenômeno da ambiguidade. Para tanto, iniciaremos abordando a língua como objeto de estudo e os diferentes olhares que pode receber. Apresentaremos, primeiramente, a visão de Aristóteles, o qual considera a ambiguidade, por ele referida como anfibolia, como consequência da discrepância entre a infinitude das coisas e a finitude dos nomes que as representam. Passaremos então a discutir a explicação dada pela Semântica Formal, por meio dos escritos de Ruth Kempson. Finalmente, traremos a perspectiva da Análise do Discurso francesa, cujos pressupostos serão norteadores da presente reflexão.Os recortes que traremos para a análise, nos permitirão demonstrar a busca por uma língua que possa veicular sentidos únicos, que, mediante areflexão sistemática, possa ser “higienizada” daqueles elementos que  possam fomentar a ambiguidade.

Palavras-chave


Língua; sentido; ambiguidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.3.3.1.56-66

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.