A mulher em situação de cárcere: gênero e processos de significação

Nathiele Sandi Saraiva, Luciana Iost Vinhas

Resumo


Com base na Análise de Discurso de tradição pêcheuxtiana, a partir de recortes de dizeres de duas apenadas em regime de privação de liberdade na Penitenciária Feminina Madre Pelletier, localizada na cidade de Porto Alegre (RS), este trabalho objetiva refletir sobre a situação da mulher presa e, também, sobre os discursos existentes em nossa sociedade a respeito de o que é ser mulher e de o que significa ser uma mulher no ambiente carcerário. Observamos, através de marcas linguísticas, principalmente a recorrência de repetições de expressões linguísticas, a reprodução de pré-construídos sobre o papel da mulher na sociedade, a situação da mulher sob regime de privação de liberdade e as relações de gênero dentro do sistema carcerário. Também conseguimos compreender o processo de constituição dos sentidos ao analisar como os pré-construídos afetam a maneira como as mulheres se posicionam como sujeitos.


Palavras-chave


Mulheres. Prisão. Discurso.

Texto completo:

PDF

Referências


DAVIS, Angela. Estarão as prisões obsoletas? Tradução de Marina Vargas. Rio de Janeiro: Difel, 2018.

ERNST, Aracy Graça. A falta, o excesso e o estranhamento na constituição/interpretação do corpus discursivo. In: SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO, 4., 2009, Porto Alegre, RS. Anais do IV SEAD - Seminário de Estudos em Análise do Discurso. Porto Alegre: UFRGS, 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 dezembro 2018.

OLIVEIRA, Camila Belinaso. A mulher em situação de cárcere: uma análise à luz da criminologia feminista ao papel social da mulher condicionado pelo patriarcado. Porto Alegre: Editora FI, 2017.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. 5.ed. Campinas: Pontes, 2003.

______. Discurso e Leitura. São Paulo: Cortez, 2007.

PÊCHEUX, Michel. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET, Françoise; HAK, Tony. (Orgs.) Por uma análise automática do discurso: Uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução de Bethania S. Mariani [et al.] 3.ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997.

_______. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni Orlandi et al. 4.ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2009.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

SILVA, Renata Silveira da. O tempo discursivo na Constituição do Imaginário do Trabalhador do Discurso da CUT. Tese de Doutorado. Pelotas: Universidade Católica de Pelotas, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-21596

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.