A assimetria entre verbos de concordância e verbos simples em Língua Brasileira de Sinais

Guilherme Lourenço

Resumo


O presente trabalho objetiva discutir a assimetria entre verbos simples (que não 

O presente trabalho objetiva discutir a assimetria entre verbos simples (que não apresentam concordância morfológica) e verbos de concordância em Língua Brasileira de Sinais (Libras). O fato de um verbo apresentar concordância ou não pode possibilitar, ou restringir, diferentes possibilidades de ordenamento dos sinais na sentença. Sentenças com verbos simples apresentam mais restrições no ordenamento de seus constituintes, enquanto verbos com concordância permitem de maneira mais livre ordens como SOV e OSV. Além disso, são identificadas diferenças em construção com topicalização de objeto e também na posição da partícula de negação não na oração. Assim, neste trabalho, apresento e discuto essas assimetrias, fornecendo uma explicação sintática para essas construções, a partir da perspectiva da Gramática Gerativa e partindo da proposta de derivação sintática da concordância em Libras, de Lourenço (2014).


Palavras-chave


Língua Brasileira de Sinais; ordem de palavras; concordância verbal.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROTÉIA, J. Papel do marcador ‘aceno de cabeça’ em sentenças não-canônicas. Apresentação realizada em III Seminário Internacional Abralin, UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Rio de Janeiro. 2003.

ARROTÉIA, J. O Papel da Marcação Não-manual nas Sentenças Negativas em Língua de Sinais Brasileira. MA thesis, Universidade Estadual de Campinas. 2005.

BAHAN, B. Non-manual realization of agreement in American Sign Language. Ph.D. Dissertation, Boston University, Boston, MA. 1996.

BAKER, M. The syntax of agreement and concord. Cambridge: Cambridge University Press. 2008.

BERENZ, N. Insights into Person Deixis. In: Sign Language & Linguistics 5(2), p. 203-227. 2002.

CHOMSKY, N. Minimalist inquiries: The framework. In: Step by step: Essays on minimalist syntax in honor of Howard Lasnik, ed. by Roger Martin, David Michaels, and Juan Uriagereka. Cambridge, MA: MIT Press, p. 89–155. 2000.

CHOMSKY, N. Derivation by Phase. In: M. Kenstowicz (ed.), Ken Hale: a Life in Language (MIT). 2001.

DUARTE, F. Clausal recursion, predicate raising and head-finality in Tenetehára. In Amaral et al. 2015.

FELIPE, T. A estrutura frasal na LSCB. In: Anais do IV Encontro Nacional da ANPOLL. Recife. 1989.

FERREIRA-BRITO, L. Por uma gramática das línguas de sinais. Tempo Brasileiro. UFRJ. Rio de Janeiro. 1995.

LILLO-MARTIN, D.; Meier, R. On the Linguistic Status of ‘Agreement’ in Sign Languages. In: Theoretical Linguistics 37, p. 95-141. 2011.

LOURENÇO, G. Concordância, Caso e ergatividade em Língua de Sinais Brasileira: uma proposta minimalista. 2014. 161 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Teórica e Descritiva) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2014.

LOURENÇO, G. Sentential negation in Brazilian Sign Language. Trabalho apresentado no III Congresso Internacional de Estudos Linguísticos, Universidade de Brasília, Brasília. 2015.

LOURENÇO, G.; DUARTE, F. B. Caso e concordância em Língua de Sinais Brasileira: Investigando verbos de concordância regular e verbos de concordância reversa. Veredas: Revista de Estudos Linguísticos. Vol. 18 (1), Juiz de Fora.

LOURENÇO, G.; QUADROS, R. M. The syntactic structure of the clause in Brazilian Sign Language. no prelo.

MEIR, I. A cross-modality perspective on verb agreement. Natural Language & Linguistic Theory 20, p. 413-450. 2002.

MIYAGAWA, S. Why Agree? Why Move? Unifying Agreement-based and Discourse Configurational Languages. MIT Press, Linguistic Inquiry Monograph 54. 2010.

NEIDLE, C.; KEGL, J.; MACLAUGHLIN, D.; BAHAN, B.; LEE, R. G. The Syntax of American Sign Language: Functional Categories and Hierarchical Structure. Cambridge, MA: MIT Press. 2000.

QUADROS, R. M. Phrase structure of Brazilian sign language. Tese de Doutorado. PUCRS. Porto Alegre. 1999.

QUADROS, R. M.; QUER, J. Back to back(wards) and moving on: On agreement, auxiliaries and verb classes in sign languages. In: Quadros, R.M. de (ed.), Sign languages: spinning and unraveling the past, present, and future. Fortyfive papers and three posters from TISLR 9, Florianopolis, Brazil, December 2006. Petrópolis: Editora Arara Azul. 2008.

QUADROS, R. M.; QUER, J. A caracterização da concordância nas línguas de sinais. In: Salles, H.; Naves, R. (orgs.) Estudos gerativos de língua de sinais brasileira e de aquisição de Português (L2) por surdos. Goiânia: Cânone Editorial. 2010.

RICHARDS, M.; BIBERAUER, T. Explaining Expl. In: den Dikken, M. and Tortora, C. (eds), The function of function words and functional categories, 115- 154. Amsterdam: John Benjamins. 2005.

ZESHAN, U. Towards a notion of ´word´ in sign languages. In: Dixon, R.M.W.; Aikhenvald, A. Y. (eds): Word: a cross-linguistic typology. Cambridge University Press, p. 153-179. 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.7.7.2.15-35

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.