O procedimento irônico como estratégia da forma polifônica em Memórias do Subsolo, de Fiódor Dostoiévski

Bárbara Del Rio Araújo

Resumo


Este trabalho visa ao estudo do procedimento irônico como uma estratégia possível para evidenciar o plano polifônico. Observada pela teoria bakhtiniana, a construção dos romances e novelas de Fiódor Dostoiévski configura, na estrutura composicional da narrativa, a relação dialógica entre consciências equipolentes, evidenciando um plano de pontos de vista inter-relacionados. Isto posto, busca-se analisar como o artifício irônico, procedimento estético e crítico, atuante na representação do objeto e na reflexão sobre o modo de representá-lo, torna-se um mecanismo para articular essas múltiplas vozes na narrativa de Memórias do Subsolo (2000).


Palavras-chave


Ironia formal; Polifonia; Memórias do Subsolo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.3.3.2.139-150

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.