A metaforização dos sentidos na nomeação do ensino escolar em tempo de pandemia

Ana Claudia Dias Ribeiro, Ana Cláudia Martins de Oliveira

Resumo


Neste trabalho, objetivamos problematizar a metaforização dos sentidos das palavras utilizadas para nomeação do ensino escolar, em tempos de pandemia, por meio dos enunciados contidos na materialidade discursiva em notícias de jornais e documentos oficiais que circularam, na mídia, durante o período de suspensão das aulas presenciais. Nossa pesquisa fundamenta-se no campo teórico-analítico da Análise de Discurso (doravante, AD) de matriz francesa, partindo das teorizações de Michel Pêcheux e de outros autores passíveis de diálogo com essas teorias. Buscamos compreender a utilização de diferentes formulações referentes ao ensino escolar, tais como remoto, a EaD e as aulas on-line, analisando como elas se inserem na memória discursiva, modificando e deslocando-se nas materialidades que circulam em meio ao acontecimento discursivo, pandemia. Em nosso gesto de interpretação, vamos descrever e interpretar a materialidade selecionada, observando a metaforização como constitutiva do funcionamento da discursividade, considerando que a metáfora é o ponto de articulação entre o equívoco e o non-sens. As análises mostram que a pandemia propiciou um deslizamento na forma como o ensino escolar é significado. O espaço escolar não é mais o mesmo, as metodologias de ensino também não são, pois a sala de aula migrou para a casa dos professores e dos alunos.


Palavras-chave


Metaforização dos sentidos. Ensino escolar. Memória discursiva. Pandemia.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, MEC. Censo da Educação Superior: principais resultados. Brasília, setembro de 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/setembro-2018-pdf/97041-apresentac-a-o-censo-superior-u-ltimo/file. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/D9057.htm Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CP Nº: 5/2020, de 28 de abril de 2020. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=14511-pcp005-20&category_slud=marco-2020-pdf&Itemid=30192 Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376 Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 617, de 03 de agosto de 2020. Dispõe sobre as aulas nos cursos de educação profissional técnica de nível médio nas instituições do sistema federal de ensino, enquanto durar a situação da pandemia do novo coronavírus - Covid-19. https://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=04/08/2020&jornal=515&pagina=36&totalArquivos=103 Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. RESOLUÇÃO Nº 3, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2018. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/51281622

COURTINE, J. J. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos: EdufScar, 2014.

DIAS, Cristiane. Análise do Discurso Digital: sujeito, espaço, memória e arquivo. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

DUNDER. Karla. MEC autoriza aula online, mas não define como escola avalia os alunos.R7. São Paulo, 02 de jun. de 2020. Disponível em https://noticias.r7.com/educacao/mec-autoriza-aula-online-mas-nao-define-como-escola-avalia-os-alunos-02062020. Acesso em: 18 dez. 2020.

HENRY, P. A história não existe? In: ORLANDI, E. P. (Org.) [et al.]. Gestos de leitura: da história no discurso. Campinas: Editora da UNICAMP, 1994, p. 29-52. Trad. José Horta Nunes.

INDURSKY, Freda. A memória na cena do discurso. In: INDURSKY, Freda et al. Memória e história na/da análise do discurso. Campinas, Mercado de Letras, 2011, p.67-89.

MEC autoriza aulas a distância nas instituições federais de ensino médio técnico e profissional até o fim do ano. G1. São Paulo, 04 de ago. de 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/08/04/mec-autoriza-aulas-a-distancia-ate-final-do-ano-em-instituicoes-federais-do-ensino-medio-tecnico.ghtml. Acesso em: 16 dez. 2020.

MEC autoriza aulas a distância para o ensino fundamental 2. Jornal do Comércio. Porto Alegre, 26 de mai. de 2020. Disponível em: https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/2017/05/geral/564914-mec-autoriza-aulas-a-distancia-para-o-ensino-fundamental-2.html. Acesso em: 08 dez. 2020

MEC autoriza aulas on-line no ensino superior até dezembro. Ministério da Educação. Brasília, 17 de jun. de 2020. Disponível em:  https://www.gov.br/mec/pt-br/assuntos/noticias/mec-autoriza-aulas-on-line-no-ensino-superior-ate-dezembro Acesso em: 20 dez. 2020

MEC autoriza aulas por meios digitais até dezembro para ensino superior. UOL. São Paulo, 17 de jun. de 2020. Disponível em: https://educacao.uol.com.br/noticias/2020/06/17/mec-autoriza-ead-ate-dezembro-e-estagio-a-distancia-para-ensino-. Acesso em: 16 dez. 2020

MEC autoriza ensino a distância em cursos técnicos profissionalizantes. R7. São Paulo, 04 de agosto de 2020. Disponível em: https://noticias.r7.com/educacao/mec-autoriza-ensino-a-distancia-em-cursos-tecnicos-profissionalizantes-04082020. Acesso em: 28 de ago. 2020.

MEC autoriza ensino integralmente à distância por prazo indeterminado. Poder 360. Brasília, 10 de dez. de 2020. Disponível em: https://www.poder360.com.br/educacao/mec-autoriza-ensino-integralmente-a-distancia-por-prazo-indeterminado/#:~:text=MEC%20autoriza%20ensino%20integralmente%20%C3%A0%20dist%C3%A2ncia%20por%20prazo%20indeterminado,-Libera%C3%A7%C3%A3o%20em%20casos&text=O%20ministro%20da%20Educa%C3%A7%C3%A3o%2C%20Milton,ensino%20no%20ano%20que%20vem. Acesso em: 18 dez. 2020.

MEC autoriza que atividades remotas passem a valer como carga horária. G1. Rio de Janeiro, 02 jun. de 2020. Disponível em https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/06/02/mec-autoriza-que-atividades-remotas-passem-a-valer-como-carga-horaria.ghtml. Acesso em: 02 dez. 2020.

ORLANDI, Eni. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 6. ed. Campinas. SP: Pontes, 2015.

ORLANDI, Eni. Discurso em análise: sujeito, sentido, ideologia. Campinas: Pontes, 2012.

ORLANDI, Eni. Volatilidade da interpretação: política, imaginário e fantasia. 2020. (1h55m08s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=MjCsJxfiXtg&t=1520s.2020. Acesso em: 05 out. 2020

PÊCHEUX, Michel [1975]. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução Eni P. Orlandi. Campinas: Ed. da Unicamp, 2014.

VILELA. Pedro Rafael. MEC autoriza aulas não presenciais até dezembro de 2021. Agência Brasil. Brasília, 10 de dez. de 2020. Disponível em https://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2020-12/mec-autoriza-aulas-nao-presenciais-ate-dezembro-de-2021. Acesso em: 18 dez. 2020

VOLTA às aulas das escolas particulares terá retorno de 200 mil alunos. Correio Brasiliense. Brasília, 29 de jan. de 2018. Disponível em https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/01/29/interna_cidadesdf,656310/volta-as-aulas-2018.shtml. Acesso em: 01 fev. 2021.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-32351

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.