A construção referencial em compósitos de gêneros na mídia Facebook

Mônica Magalhães Cavalcante, Isabel Muniz-Lima

Resumo


Este artigo busca investigar a construção referencial em textos que circulam em páginas do Facebook. Nesta investigação, defendemos que os textos dessa mídia se apresentam em um compósito de gêneros e que a construção referencial deve ser observada tendo em vista esse agrupamento. O presente estudo se vincula à perspectiva da Linguística Textual praticada no Brasil, sobretudo em investigações do grupo de pesquisa Protexto, da Universidade Federal do Ceará, e tem como base pesquisas recentes no âmbito da referenciação (CAVALCANTE, 2011; CUSTÓDIO-FILHO, 2011; CAVALCANTE; BRITO, 2016; MATOS, 2018). Para esta análise, selecionamos postagem publicada na página do Facebook do jornal O Povo, em 27 de novembro de 2020, sobre um pronunciamento do presidente brasileiro Jair Messias Bolsonaro, em relação à Covid-19. Este trabalho nos permitiu perceber que a (re)elaboração do referente “Covid-19” exige que o leitor se reporte a âncoras dadas não só na postagem principal do jornal, mas também em outros elementos desse compósito, como nos comentários.


Palavras-chave


Referenciação. Compósito de gêneros. Mídia Facebook.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAM, J.-M. Textos: tipos e protótipos. Tradução de CAVALCANTE et al. São Paulo: Contexto, 2019.

BONINI, A. Mídia / suporte e hipergênero: os gêneros textuais e suas relações. RBLA, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, p. 679-704, 2011. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rbla/v11n3/05.pdf. Acesso em: dez. 2020.

CARVALHO, J. L. Q. Mídia, suporte e hipergênero: por uma análise crítica de blogs no ciberativismo. 2020. 96 f. (Projeto de Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 28. out de 2020.

CAVALCANTE, M. M. CUSTÓDIO FILHO, V., BRITO, M. A. P. Coerência, referenciação e ensino. 1 ed. São Paulo: Cortez, 2014.

CAVALCANTE, M. M.; BRITO, M. A. P. O caráter naturalmente recategorizador das anáforas. In: AQUINO, Z. G. O.; GONÇALVES-SEGUNDO, P. R. (Orgs.). Estudos do discurso: caminhos e tendências [Internet]. São Paulo: Paulistana, 2016. Disponível em: http://cied.fflch.usp.br/sites/cied.fflch.usp.br/files/u31/Livro-CIED-2016-final.pdf. Acesso em: dez. 2020.

CAVALCANTE, M. M.; MARTINS, M. A. Referenciação: em síntese. In: LIMA, A. H., SOARES, M. E., CAVALCANTE, S. A. de S. Linguística geral: os conceitos que todos precisam conhecer. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020, v. 2, p. 237-272. Disponível em: https://www.pimentacultural.com/linguistica-geral-2. Acesso em: dez. 2020.

CAVALCANTE, M. M. Referenciação: sobre coisas ditas e não ditas. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães et al. O texto e suas propriedades: definindo perspectivas para análise. (Con)Textos Linguísticos - Linguística Textual e Análise da Conversação: conceitos e critérios de análise, Espírito Santo, v. 13, n. 25, p.25-39, set. 2019. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/27884/18764. Acesso em: dez. 2020.

CUSTÓDIO-FILHO, Valdinar. Múltiplos fatores, distintas interações: esmiuçando o caráter heterogêneo da referenciação. 331p. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

LIMA, Silvana Maria Calixto. Entre os domínios da metáfora e da metonímia: um estudo de processos de recategorização. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

LIMA. Sóstenes Cezar de. Hipergênero: agrupamento ordenado de gêneros na constituição de um macroenunciado. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Brasília, p. 273. 2013.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MATOS, Janaica Gomes. As redes referenciais na construção de notas jornalísticas. 259 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

MONDADA, Lorenza; DUBOIS, Daniele. Construção de objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE et al. (Org.). Referenciação. São Paulo: Contexto, 2003. p. 17-52.

NASCIMENTO, Suelene Silva Oliveira. A construção multimodal dos referentes em textos verbo-audiovisuais. 149f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

PAVEAU, Marie-Anne. L’Analyse du Discours Numérique. Dictionnaire des formeset des pratiques. Paris: Hermann Éditeurs, 2017.

SIMAS, Fábio Macedo. Referenciação em fóruns educacionais em EAD: a interface entre oralidade e escrita. 2015. 285 f. Tese (Doutorado) – Curso de Estudos de Linguagem, Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFF-2_b2e1cf065c2736ffc6b8be46f3756540. Acesso em: dez. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-32328

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.