Fotografias da pesquisa em linguística aplicada na pós-graduação brasileira entre 2017 e 2020

Tadinei Daniel Jacumasso

Resumo


O objetivo deste estudo é investigar os temas recorrentes e o lugar das línguas nas teses e dissertações inseridas na área da Linguística Aplicada (LA) defendidas entre os anos de 2017 e 2020 nos programas de pós-graduação (PPG) avaliados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) com conceito seis ou sete, a fim de desvelar as interseções entre diferentes áreas na pesquisa em LA. O referencial teórico advém de estudos que relacionam a LA com outras áreas do conhecimento. A metodologia consistiu em buscar nos bancos de teses e dissertações todos os trabalhos de pós-graduação defendidos no período mencionado que constassem no seu título ou nas palavras-chave a combinação dos termos “linguística aplicada”. Os resultados demonstram que, entre os quinze trabalhos pesquisados, a maioria deles prioriza as questões relacionadas à língua inglesa como objeto de investigação. Além disso, percebemos que alguns temas têm ganhado espaço no campo da LA, como a Educação a Distância (EaD), a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e o Português como Língua Adicional (PLA).


Palavras-chave


Linguística aplicada. Teses e dissertações. Programas de pós-graduação de excelência.

Texto completo:

PDF

Referências


BATISTA, C. L.; JACUMASSO, T. D. As línguas estrangeiras nos exames de proficiência das universidades de Santa Catarina. In: SOUSA, I. V. de. (Org.). (In)Subordinações contemporâneas: Linguística, Letras e Artes 2. Ponta Grossa: Atena Editora, 2020. p. 1-9.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional [...]. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 fev. 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2020.

CALVET, L. J. As políticas linguísticas. Trad. Isabel de Oliveira Duarte, Jonas Tenfen e Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial/Ipol, 2007.

CÂNDIDO, M. D. “Eu vejo o PEC-G como uma teia”: narrativas de professoras do curso de português como língua adicional para candidatos ao programa de estudantes-convênio de graduação. 2019. 237 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2019. Disponível em: . Acesso em: 22 dez. 2019.

CAPES. Resultado final da avaliação quadrienal 2017. Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2019.

DIAS FAGUNDES, F. A. Contribuições de um curso de extensão na formação e prática docente: possibilidades e indícios de novos letramentos. 2019. s/p. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2019. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2020.

DINIZ, R. R. A interação sociodiscursiva entre professor-autor e revisor de textos na produção de material didático impresso para EAD. 2017. 122 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, 2017. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2020.

GARGIONI, A. A. dos P. A performatização de identidades por vlogueiros indígenas no YouTube. 2019. 196 p. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2019. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2020.

HAMEL, R. H. El campo de las ciencias y la educación superior entre el monopolio del inglés y el plurilingüismo: elementos para una política del lenguaje en América Latina. Trab. ling. aplic., Campinas, n. 52, v. 2, p. 321-384, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2020.

HAUGEN, E. Language planning in modern Norway. Scandinavian Studies, v. 33, n. 2, p. 68-81, 1961. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2020.

JACUMASSO, T. D. Lugares que ocupam as línguas em publicações na área de linguística aplicada: análise de três periódicos com classificação máxima no Qualis/CAPES. Polifonia: Estudos da Linguagem, Cuiabá, MT, v. 26, n. 44, p. 102-122, 2019a. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2020.

JACUMASSO, T. D. Política linguística na pós-graduação paranaense: um estudo sobre exames de proficiência. In: SOUSA, S. C. T. de; PONTE, A. S.; SOUSA-BERNINI, E. N. B. de. (Orgs.). Fotografias da política linguística na pós-graduação no Brasil. João Pessoa, PB: Editora UFPB, 2019b. p. 385-406.

MIRA, C. Apenas mais um modo de fazer Linguística Aplicada. Calidoscópio, São Leopoldo, RS, v. 17, n. 4, p. 684-686, 2019. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2020.

MOITA LOPES, L. P. da. (Org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MOITA LOPES, L. P. da. Fotografias da Linguística Aplicada brasileira na modernidade recente: contextos escolares. In: MOITA LOPES, L. P. da. (Org.). Linguística aplicada na modernidade recente: festschrift para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola, 2013. p. 15-37.

NELO, M. J da S. O agir de tutores na EAD: “minha experiência na tutoria me permite dizer...”. 2017. 134 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, 2017. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

NEVES, A. de O. Política linguística de acolhimento a crianças imigrantes no ensino fundamental brasileiro: um estudo de caso. 2018. 185 p. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2018. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2020.

OLIVEIRA, M. do C. L. de. Apenas mais um modo de fazer Linguística Aplicada. Calidoscópio, São Leopoldo, RS, v. 17, n. 4, p. 699-710, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2020.

OSTERMANN, A.; GUIMARÃES, A. M de M. A Linguística Aplicada que se faz ‘aqui’: dez anos formando doutoras e doutores. Calidoscópio, São Leopoldo, RS, v. 17, n. 4, p. 687-698, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2020.

QUEIROZ, C. V. de. Adoção da inovação, letramento digital e docência: o uso de dispositivos e aplicativos móveis no contexto de formação continuada. 2019. 104 p. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2020.

SAVEDRA, M. M. G.; LAGARES, X. C. Política e planificação linguística: conceitos, terminologias e intervenções no Brasil. Gragoatá, Niterói, RJ, v. 17, n. 32, p. 11-27, 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2020.

SHOHAMY, E. Language policy: hidden agendas and new approaches. London: Routledge, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-31961

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.