Consolidação de uma gramática nacional: a implementação do genitivo “dele” nas Minas setecentistas

Shirlene Ferreira Coelho, José Edilmo Ferreira da Silva, Sueli Maria Coelho

Resumo


O Português do Brasil reúne vários estudos (SILVA, 1982, 1984, 1991; CUNHA, 2007) que investigam o uso dos possessivos seu e dele sob uma perspectiva variacionista. Tem-se atribuído esse fenômeno a uma mudança no sistema pronominal, que se desestabilizou com a entrada da forma você em lugar de tu (KATO, 1985; PERINI, 1985; CERQUEIRA, 1996a, 1996b), gerando ambiguidade de interpretação em alguns contextos. A forma genitiva dele surge, então, como variante preferida por ter função desambiguizadora. Nesse contexto, este estudo compara os usos da forma possessiva padrão com a inovadora, para verificar se os reflexos da aludida desestabilização do quadro pronominal já se faziam sentir nas Minas setecentistas. Adotando-se uma metodologia quantitativa e qualitativa de pesquisa, embasada teoricamente nos pressupostos sociolinguísticos labovianos, chega-se à conclusão de que, nas Minas setecentistas, o possessivo de terceira pessoa já era opaco, o que sugere a concorrência entre as formas tu e você nesta região no século XVIII.


Palavras-chave


Gramática nacional. Mudanças sintáticas. Forma genitiva dele. 

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, E. B. R. Construções de posse com clítico no PB: percurso diacrônico. 2006. 247f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

BARBOSA, E. C. C. O ciclo do ouro: o tempo e a música do Barroco católico. Rio de Janeiro: PUC, XEROX, 1978.  

BOSCHI, C. C. Irmandades, religiosidade e sociabilidade. In: RESENDE, M. E. L.; VILLALTA, L. C. (Org.) As minas setecentistas. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 59-76.

CANÇADO, M. Manual de semântica: noções básicas e exercícios. 1. ed., 1. reimpr. São Paulo: Contexto, 2013.

CERQUEIRA, V. C. A forma genitiva “dele” e a categoria de concordância (AGR) no português brasileiro. In. ROBERTS, I.; KATO, M. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. 2. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1996a. p. 129- 161.

CERQUEIRA, V. C. A sintaxe do possessivo no português brasileiro. 1996. 225f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996b.

COELHO, S. M.; PAULA, T. F. Colocação pronominal nas Minas setecentistas. Revista Alpha, Patos de Minas, UNIPAM, v. 12, p. 112-127, 2011.

CUNHA, P. F. A. Possessivos de terceira pessoa na língua portuguesa nos séculos XIII e XIV. 2007. 226f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

DUARTE, M. E. L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In. ROBERTS, I.; KATO, M. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. 2. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1996. p. 107-128.

DUCHOWNY, A. T.; COELHO, S. M. Edição semidiplomática e fac-similar de documentos adamantinos setecentistas. Belo Horizonte: Viva Voz. 2013.

FARACO, C. A. The imperative sentences in portuguese: a semantic and historical discussion. 1982. Tese (Doutorado em Linguística) – Departamento of Modern Languages, University of Salford, Salford, 1982.

FARACO, C. A. O tratamento você em português: uma abordagem histórica. Revista Fragmenta, Curitiba, Editora da UFPR, n. 13, p. 51-82, 1996.

GALVES, C. A sintaxe do português brasileiro. Cadernos de Linguística e Teoria da Literatura – Ensaios de Linguística, Belo Horizonte, Faculdade de Letras da UFMG, v. 7, n. 13, p. 31-50, 1985. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/cltl/article/view/7204/6204. Acesso em: 03 mai. 2020.

KATO, M. A. A complementaridade dos possessivos e das construções genitivas no português coloquial: réplica a Perini (1985). D.E.L.T.A., São Paulo, EDUC, vol. 1, n. 1 e 2, p. 107-120, 1985.

KATO, M. A. A concepção da escrita pela criança. 2. ed. Campinas,SP: Pontes, 1994.

LACERDA, P. F. A. C. A implementação do possessivo ‘dele’ na língua portuguesa. Veredas, Juiz de Fora, PPG Linguística/UFJF, p. 20-35, 2010.

LABOV, W. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972.

PAGOTTO, E. G. Clíticos, mudança e seleção natural. In. ROBERTS, I.; KATO, M. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. 2. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1996. p. 185-206.

PERINI, M. O surgimento do sistema possessivo do português coloquial: uma interpretação funcional. D.E.L.T.A., São Paulo, EDUC, v. 1, n. 1 e 2, p. 1-16, 1985.

SILVA, G. M. O. Estudo da regularidade na variação dos possessivos no português do Rio de Janeiro. 1982. Tese (Doutorado em Linguística) - Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1982.

SILVA, G. M. O. Variação no sistema possessivo de terceira pessoa. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 78/79, p. 54-72, 1984.

SILVA, G. M. O. Um caso de definitude. Organon, Porto Alegre, Editora da UFRGS, n. 18, p. 90-108, 1991.

VALADARES, V. T. Elites mineiras setecentistas: conjugação de dois mundos. Lisboa: Edições Colibri, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-21847

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.