As fricativas posteriores: caracterização articulatória e acústica do /r/ em onset silábico

Carine Haupt, Izabel Seara

Resumo


O presente estudo é um esboço inicial da caracterização articulatória e acústica de fricativas posteriores na posição de onset silábico. São poucos os estudos que utilizam recursos, como parâmetros acústicos, para confirmar as impressões de oitiva da produção das fricativas posteriores (SILVA, 2002; REINECKE, 2006; RENNICKE, 2015). Assim, este trabalho tem o objetivo de apresentar características articulatórias de fricativas posteriores a partir de imagens ultrassonográficas e, posteriormente, discutir dois parâmetros acústicos: picos espectrais e amplitude. A amostra se constitui da gravação de vídeos ultrassonográficos da produção de fricativas por  duas informantes da cidade de Florianópolis. O corpus contém palavras reais e pseudopalavras, nas quais foi controlado o contexto vocálico ([a, i, u]). Para as análises, foram utilizados o software Articulate Assistant Advanced, a partir do qual foram observados os movimentos da língua em cada fricativa produzida; e o Praat, para as análises acústicas. Os resultados das imagens mostram constrições na região velar e faringal, condicionadas às vogais adjacentes: fricativas velares e faringais ocorreram apenas em contexto de [a], enquanto, para os demais contextos, foram encontradas fricativas glotais. Em nossos dados, a amplitude se mostrou um parâmetro significativo para distinguir as fricativas posteriores, e os picos espectrais encontram-se em frequências mais altas para as velares do que para as faringais e seguem o padrão das vogais para as glotais. Todavia, consideramos necessários mais estudos para maiores generalizações.


Palavras-chave


Fricativa posterior. Ultrassonografia. Acústica.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, P. A.; MADUREIRA, S. Manual de fonética acústica experimental: aplicações aos dados do português. Cortez: São Paulo, 2015.

BOTASSINI, J. O. M. A variação no uso dos róticos em Porto Alegre. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 2, n. 40, p. 1006-1072, mai-ago. 2011.

BRESCANCINI, C.; MONARETTO, V. N. de O. Os róticos no sul do Brasil: panorama e generalizações. Signum: Estudos da Linguagem, Londrina, v. 2, n. 11, p. 51-66, dez. 2008.

BUENO, L. F. Os róticos do português falado em Brasília por crianças de 03 a 07 anos de idade. 2013. 127 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

CORRÊA, A. P. dos S. Aquisição fonológica de fricativas por crianças com transtorno fonológico: uma investigação acústica. 2013. 92 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, São Paulo, 2013.

CRISTOFOLINI, C. Gradiência na fala infantil: caracterização acústica de segmentos plosivos e fricativos e as evidências de um período de “refinamento articulatório”. 2013. 286 f. Tese (Doutorado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

CRISTÓFARO-SILVA, T. et al. Fonética Acústica: os sons do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2019.

FERREIRA-SILVA, A.; PACHECO, V. Características da duração do ruído das fricativas de uma amostra do Português Brasileiro. Estudos da Língua(gem). Vitória da Conquista, v. 10, n. 1, p. 9-29, jun. 2012.

FERREIRA-SILVA, A.; PACHECO, V.; CAGLIARI, L. C. Descritores estatísticos na caracterização das fricativas do Português Brasileiro: Características espectrais das fricativas. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, v. 37, n. 4, p. 371-379, out./dez. 2015.

HORA, D., MONARETTO, V. N. de O. Enfraquecimento e apagamento de róticos. In: HORA, D; COLLISCHONN, G. (Orgs.). Teoria Linguística: Fonologia e outros temas. João Pessoa: Editora Universitária, 2003. p. 114-143.

JESUS, L. M. T.; SHADLE, C. H. Acoustic analysis of European Portuguese uvular [χ, ʁ] and voiceless tapped alveolar [ɾ̥] fricatives. Journal of the International Phonetic Association, v. 35, n. 1, p. 27–44, 2005.

JESUS, L. M. T. de. Acoustic Phonetics of European Portuguese Fricative Consonants. 2000. 256 f. Tese. Department of Electronic and Computer Science, University of Southampton, Southampton,UK, 2000.

JOHNSON, K. Acoustic and auditory phonetics. 2. Oxford: Ed. Blackwell Publishing, 2003.

JONGMAN, A. et al. Acoustic characteristics of English fricatives. Journal of the Acoustical Society of America. n. 108, p. 1252-1263, 2000.

KENT, R. D.; READ, C. Análise acústica da fala. Tradução Alexsandro Rodrigues Meireles. São Paulo: Cortez, 2015.

LADEFOGED, P.; MADDIESON, I. The sounds of the words’s language. Blackwell Publishers: Oxford, 1996.

REINECKE, K. Os róticos intervocálicos na gramática individual de falantes de Blumenau e Lages. 2006. 241 p. Tese (Doutorado em Linguística) –Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

RENNICKE, I. E. Variation and Change in the Rhotics of Brazilian Portuguese. Belo Horizonte, UFMG, 2015. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Faculdade de Letras, UFMG, Belo Horizonte, 2015.

SILVA, A. H. P. As fronteiras entre Fonética e Fonologia e a alofonia dos rótico iniciais em PB: dados de dois informantes do sul do país. Campinas, UNICAMP, 2002. Tese (Doutorado em Linguística) do Programa de Pós-graduação em Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP, Campinas, 2002.

SILVA, A. F. da. Estudo das características acústicas das fricativas do português do Brasil. 2012. 106 f. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara, 2012.

STEVENS, K. Articulatory-acoustic-auditory relationships. In: HARDCASTLE, W.J. & LAVER, J. The handbook of phonetic sciences. Massachusetts: Blackwell, 1997. p. 462-506.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-11763

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.