Atos de fala diretivos em português e em espanhol: uma análise acústica comparativa

Carolina Gomes da Silva, Manuella Carnaval, João Antonio de Moraes

Resumo


Este artigo descreve foneticamente os contornos melódicos de três atos de fala diretivos (ordem, pedido e súplica) em português do Brasil e em espanhol de variedade mexicana. Para tanto, foi utilizado um corpus de fala atuada, com a seleção de enunciados com a entoação dos três atos diretivos em cada língua. Em seguida, houve a aplicação de testes auditivos para o reconhecimento da intenção do locutor, bem como para a legitimação de sua performance, além de uma análise acústica para a caracterização do padrão entonacional de cada ato. Os resultados sugerem que a entoação pode constituir um dos mecanismos para a distinção dos três tipos de atos de fala diretivos, devido a diferenças entonacionais na produção de cada ato nas duas línguas analisadas.


Palavras-chave


Entoação dos atos de fala diretivos. Espanhol mexicano. Português do Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, L.; DE-LA-MOTA, C.; PRIETO, P. (coords). Sp_ToBI Training Materials. 2009. Disponível em: http://prosodia.upf.edu/sp_tobi/. Acesso em: 31 jan. 2020.

BARBOSA, P. A. Prosódia. São Paulo: Parábola, 2019.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. Praat, 1993-2016. Disponível em: http://www.fon.hum.uva.nl/praat/.

BREHM, A.; LAUSECKER, A.; FELDHAUSEN, I. The Intonation of Imperatives in Mexican Spanish. In: FUSCHS, S.; GRICE, M.; HERMES, A.; LANCIA, L.; MÜCKE, D. (eds.) INTERNATIONAL SEMINAR ON SPEECH PRODUCTION, 10., 2014, Köln. Proceedings [...]. Köln (Germany), 2014. p. 53-56.

CRESTI, E. Corpus di Italiano parlato. Firenze: Accademia de lla Crusca, 2000.

DE-LA-MOTA, C.; BUTRAGUEÑO, P. M.; OROZCO, L.; PRIETO, P. “Mexican Spanish Intonation”. In: PIETRO, P.; ROSEANO, P. (org.). Transcription of Intonation of the Spanish Language. München: Lincom Europa, 2010. p. 319-350.

FROTA, S.; CASTELO, J.; CRUZ, M.; BARROS, N.; CRESPO-SENDRA, V.; SILVESTRE, A. P. Melodia ou texto? Estratégias de acomodação entre melodia e texto no Português. Revista Diadorim, Rio de Janeiro, v.17, p. 12-33, 2015.

GUSSENHOVEN, C. Intonation and interpretation: Phonetics and Phonology. SPEECH PROSODY 2002: INTERNATIONAL CONFERENCE ON SPEECH PROSODY, 1., Aix-en-Provence, 2002. Proceedings [...]. Aix-en-Provence: ProSig and Universit´e de Provence Laboratoire Parole et Langage, 2002. p. 47-57.

HUALDE, J. I. El modelo métrico y autossegmental. In: PRIETO, P. (coord.). Teorías de la entonación. Barcelona: Ariel, 2003. pp. 155-184.

KERBART-ORECCHIONI, C. Os atos de linguagem no discurso. Tradução: Fernando Afonso de Almeida e Irene Ernest Dias. Niterói: EdUFF, 2005.

LAUSECKER, A.; BREHM, A.; FELDHAUSEN, I. Intonational aspects of imperatives in Mexican Spanish. In: CAMPBELL, N.; GIBBON, D.; HIRST, D. (eds.) INTERNATIONAL CONFERENCE ON SPEECH PROSODY, 7., Dublin, 2014. Proceedings [...]. Dublin, 2014. p. 683-687.

MITTMAN, M. O C-ORAL-BRASIL e o estudo da fala informal: um novo olhar sobre o Tópico no Português Brasileiro. 2012. 248 p. Tese (Doutorado em Linguística), Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

MORAES, J. A. The pitch accents in Brazilian Portuguese: analysis by synthesis. In: SPEECH PROSODY, Campinas, 2008. Proceedings [...]. Campinas: Unicamp, 2008. p. 389-397.

MORAES, J. A. A entoação de atos de fala diretivos no PB. In: COLÓQUIO BRASILEIRO DE PROSÓDIA DA FALA, 3., Belo Horizonte, 2011. Resumo [...]. Belo Horizonte: FALE-UFMG, 2011.

MORAES, J. A.; COLAMARCO, M. Accommodation of intonational patterns in Brazilian Portuguese short utterances: compression or truncation? In: BISOL, L.; BRESCANCINI, C. R. Contemporary Phonology in Brazil. New England: Cambridge Scholars Publishing, 2008. pp. 2-21.

MORAES, J. A.; RILLIARD, A. Describing the intonation of speech acts in Brazilian Portuguese: methodological aspects. In: FELDHAUSEN, I.; FLIESSBACH, J.; VANRELL, M. M. (eds.). Methods in prosody: A Romance language perspective [Studies in Laboratory Phonology (SILP)]. Berlin: Language Science Press, 2018. p. 229-262.

NAVARRO TOMÁS, T. Manual de entonación española. 4.ed. Madrid: Ediciones Guadarrama, 1974.

PIERREHUMBERT, J. B. The phonology and Phonetics of English Intonation. 402p. Tesis doctoral, MIT, Cambridge, Massachusetts, 1980.

RAE. REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Nueva gramática de la lengua española: Fonética y fonología. Barcelona: Espasa, 2011.

RASO, T. O C-ORAL-BRASIL e a teoria da língua em ato. In: RASO, T; MELLO, H. C-ORAL-BRASIL I: Corpus de referência do português brasileiro falado informal. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

RASO, T; MELLO, H.; JESUS, A.; DEUS, L. Uma aplicação da teoria da Língua em Ato ao português do Brasil. Revista de Estudos Linguísticos, Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 147-166, jul./dez. 2007.

SEARLE, J. Speech Acts. An Essay in the Philosophy of Language. Cambridge: Cambridge University Press, 1969.

SEARLE, J. Expressão e significado: estudos da teoria dos atos de fala. Tradução: Ana Cecília de Camargo e Ana Luiza Marcondes. São Paulo: Martins Fontes, 1995. pp. 1-46.

VANDERVEKEN, D. Meaning and Speech Acts. Cambridge: Cambridge University Press, 1990. 1 v.

WILLIS, E. Is There a Spanish Imperative Intonation Revisited: Local Considerations. Linguistics, Berlin, 40, p. 347-374, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-11751

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.