A propagação de memes sobre a legalização ou não do aborto: novos discursos, velhas questões

Luciana Fernandes Nery, Keila Gabryelle Leal Aragão

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar os discursos contra e a favor da legalização do aborto através dos memes e observar como a memória discursiva é retomada para a construção de “novos” discursos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de cunho descritivo-interpretativista fundamentada nos postulados teóricos da Análise do discurso de linha francesa, sobretudo em Pêcheux (1997), Foucault (2009a, 2009b), Maingueneau (2008) e Paveau (2013), com ênfase nas concepções de discurso, formação discursiva, memória e interdiscurso. Selecionamos como corpus quatro memes, sendo  dois que se colocam a favor da legalização do aborto e dois contra, publicados em páginas de quatro diferentes blogs da web. A análise nos permite afirmar que, ao propagar determinados discursos sobre a legalização do aborto, há uma retomada de discursos já existentes para reafirmar ou negar determinadas posições, tratando a causa como uma questão política alicerçada nos discursos da saúde e da religião.


Palavras-chave


Memes. Legalização do aborto. Discurso.

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade (s) Enunciativas. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, n.19, p.24-41, jul/dez 1990.

BAKHTIN, M. (Volochinov). Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 9. ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra; notas da edição russa de Serguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 2016.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1998.

COURTINE, J. J. Análise do discurso político endereçado aos cristãos. São Carlos: EDUFSCAR, 2009.

Diário de uma feminista. Disponível em: http://diariosdeumafeminista.blogspot.com. Acesso em: 8 out. 2018.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Tradução: Izabel Magalhães. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2001.

FERNANDES, C. Análise do discurso: reflexões introdutórias, 2. ed. São Carlos: Claraluz, 2007.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009a.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Tradução: Laura Fraga de Almeida Sampaio. 18. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2009b.

Gerador de memes. Disponível em: http://geradormemes.com. Acesso em: 20 out. 2018.

GREGOLIN, R. Análise do discurso: enfrentamentos teóricos. In: FERNANDES, C.; SANTOS, J.B. (org.). Teorias lingüísticas: problemáticas contemporâneas. Uberlândia: UFU, 2003.

GREIMAS, A. J. Semântica estrutural. Pesquisa de Método. Tradução de Haquira Osakabe e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix/EDUSP, 1976.

LENZA, P. Direito constitucional esquematizado. São Paulo: Saraiva, 2017.

MAINGUENEAU, D. Primando do interdiscurso. In: MAINGUENEAU, D.Gênese dos discursos. Tradução: Sírio Possenti. São Paulo: Párabola Editorial, 2008. p.31-45.

Marcha das mulheres. Disponível em: https://marchamulheres.wordpress.com. Acesso em: 10 out. 2018.

Memedroid. Disponível em: https://pt.memedroid.com/memes. Acesso em: 22 out. 2018.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Disponível em: https://nacoesunidas.org. Acesso em: 10 dez. 2018.

PAVEAU, M. A.. Memória, des-memória, a-memória: quando o discurso volta-se para o seu passado. Trad. Jocilene Santana Prado; Eduardo Lopes Piris. EID&A- Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, Ilhéus, n.5, p.137-161, dez 2013.

PÊCHEUX, M. Análise do discurso: três épocas. In: GADET, F.; HAK, T. Por uma Análise Automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997. p.311-318.

PÊCHEUX, M. Papel da memória. In: ACHARD, P. et. al. Papel da memória. Campinas: Pontes, 2015. p. 43-51.

PÊCHEUX, M.; FUCHS, C. A propósito da Análise Automática do discurso: atualização e perspectivas. In: GADET, F.; HAK, T. Por uma Análise Automática do Discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Ed. da Unicamp, 1997. p.163-252.

VAN DIJK, T. A. (Org.). El discurso como interaccion social. Revisão técnica de J. A. Álvarez. Barcelona: Editorial Gedisa, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-31563

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.