Gramática, Senhora do destino

Leandro Silveira de Araujo

Resumo


Com esse trabalho, propomo-nos a refletir sobre dois modos antagônicos de proceder aos estudos gramaticais. Se de um lado, deparamo-nos com uma abordagem tida como tradicional e marcada por uma prática prescritiva, desvinculada à realidade discursiva, do outro, encontramos uma abordagem preocupada essencialmente com o uso efetivo da língua e, por isso, atenta à heterogeneidade linguística e à riqueza de sentidos facultada pelos muitos empregos dos constituintes linguísticos. A partir da sensibilidade linguística de alguns cronistas, exporemos os procedimentos de ambas as abordagens e quais as consequências resultantes de cada uma das posturas. Assim, verificaremos a perspectiva prescritiva gerando uma prática excludente e limitadora, ao passo que na perspectiva descritiva, devemos nos deparar com uma prática libertadora e inclusiva.


Palavras-chave


gramática; descrição; prescrição.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.3.3.1.218-229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.