Artigos sobre carreira no LinkedIn: uma análise das categorias de composição, propósito comunicativo e estilo

Adelane Brito Rodrigues, Francisco Alves Filho

Resumo


Este artigo busca analisar as semelhanças entre artigos publicados no LinkedIn, por meio das análises das seguintes categorias: composição, propósito comunicativo e estilo. Para isso, selecionou-se um corpus com 5 artigos sobre o tema carreira, de autores diferentes, publicados nos anos de 2017 e 2018 no LinkedIn. Os principais teóricos que deram suporte para a construção do estudo foram Bakhtin (1979/2016), Askehave e Swales (2009), e Miller (2012). Conforme os resultados obtidos, os artigos publicados no LinkedIn, apesar de possuírem características próprias da escrita dos seus autores, apresentam similitudes, tais como o propósito comunicativo de ajudar os leitores a repensarem as suas carreiras e o estilo assinalado pela presença de relato pessoal, uso dos pronomes “eu”, “nós” e “você”, além do uso frequente de verbos no imperativo.


Palavras-chave


Gêneros discursivos. Rede social profissional. Conteúdo.

Texto completo:

PDF

Referências


ASKEHAVE, Inger; SWALES, John Malcolm. Identificação de gênero e propósito comunicativo: um problema e uma possível solução. In: BEZERRA, Benedito Gomes; BIASI-RODRIGUES, Bernadete; CAVALCANTE, Mônica Magalhães (orgs.). Gêneros e sequências textuais. Recife: Edupe, 2009. p. 221-247.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Paulo Bezerra (Organização, Tradução, Posfácio e Notas); Notas da edição russa: Seguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 1979/2016.

BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BRANCATELLI, Rodrigo. Entenda o Pulse, siga os Influencers e escreva você também no LinkedIn. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2018.

DEVITT, Amy. Writing Genres. Carbondale IL: SIU Press, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LIMA, Sandra Mara Moraes. Concepção bakhtiniana de linguagem e de gênero discursivo: uma análise das orientações curriculares de língua portuguesa para o ensino médio. Entretextos (UEL), v. 12, p. 164-177, 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2018.

MILLER, Carolyn Rae. Gênero como ação social. In: Ângela Paiva Dionísio, Judith Hoffnagel (Org.). Gênero textual, agência e tecnologia. Tradução de Judith Hoffnagel. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. cap. 1, p. 21-41.

MILLER, Carolyn Rae. Comunidade retórica: a base cultural dos gêneros. In: Ângela Paiva Dionísio, Judith Hoffnagel (Org.). Gênero textual, agência e tecnologia. Tradução de Ana Regina Vieira e Judith Hoffnagel. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. cap. 2, p. 43-55.

PEDREIRA, Patrick. Os quatro passos para uma carreira de sucesso. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2018.

SOUZA, Matheus de. Vestir a camisa da empresa é legal, mas experimente vestir a sua. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2018.

TARGA, Taís. É possível transformar um hobby em uma profissão? Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2018.

TERRA, Eberson. Trabalhar para viver ou viver para trabalhar? Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2018.

VIEIRA, Dimitri. Mudar de carreira: o que fazer quando você não sabe o que fazer? Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-31537

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.