Letramento escolar: Interculturalidade e poder na produção de um artigo de opinião no ensino médio integrado

Adriana Dalla Vecchia, Neiva Maria Jung, Rafael Petermann

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão sobre a produção escrita na Educação Básica, considerando língua e escrita como práticas sociais situadas (STREET, 2014; KLEIMAN; ASSIS, 2016). O objetivo proposto para o artigo é identificar se há “modelos culturais” de escrita, orientadores das produções dos alunos, e “dimensões escondidas” no processo de produção de um Artigo de Opinião em um contexto de formação profissional em Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio em um Instituto Federal de Ciência e Tecnologia. Partimos de discussões de trabalhos sobre letramentos acadêmicos as quais trazem questões de interculturalidade, poder e identidade, que resultam em “dimensões escondidas” em processos de produção escrita de gêneros acadêmicos. Em termos metodológicos, trata-se de uma etnografia da linguagem (GARCEZ; SCHULZ, 2015) que analisou textos produzidos por 18 alunos, durante as aulas de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira III na terceira série do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio. Os resultados evidenciaram que os alunos deixaram à mostra as suas percepções de mundo, articulando diálogos entre o modelo cultural em que estão inseridos, que Street (2014) reconhece como letramento vernacular, e o modelo cultural proposto pela escola. Nos textos, ocorreu um processo de produção de sentidos que indicializa a interculturalidade e a forma como esses alunos percebem as temáticas discutidas e como estas fazem parte de seu repertório e, por extensão, da sua vida. Foi possível identificar duas “dimensões escondidas”: a primeira relacionada ao tema, que pode favorecer autoria ou produção de um texto; e a segunda relacionada à interculturalidade e relações de poder negociadas e/ou articuladas por meio de vozes sociais trazidas dos textos de apoio.


Palavras-chave


Letramentos. Interculturalidade. Artigo de Opinião.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, I. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BAKHTIN, M./ VOLOCHINOV, V.N. Marxismo e filosofia da linguagem. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 1992.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, M. Discurso na vida e na arte: sobre a poética sociológica. Trad. de Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza da edição inglesa de TITUNIK, I. R. “Discourse in life and discourse in art – concerning sociological poetics”. In: VOLOSHINOV, V. N. Freudism. New York: Academic Press, 1976.

BARTON, D.; HAMILTON, M. La literacidad entendida como práctica social. In: ZAVALA, V.; NIÑO-MURCIA, M.; AMES, P. (orgs.). Escritura y sociedade: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima/Peru: Rede para elDesarrollo de lasCienciasSociales em el Peru, 2004. p. 109-139.

BLOMMAERT, J. Contexto é/como crítica. In: SIGNORINI, I. (org.). Situar a linguagem. São Paulo: Parábola Editorial, 2008. p. 91-115.

CANAGARAJAH, S. Reconstructing Local Knowledge. Journal of Language, Identity, and Education: 1(4): 243-259, 2002.

CORRÊA, M. L. G. As perspectivas etnográficas e discursivas no ensino da escrita : o exemplo de textos de pré-universitários. Revista da ABRALIN, v. Eletrônico, n. Especial, p. 333-356. 2ª parte 2011.

FIAD, R. S. Reescrita, dialogismo e etnografia. Linguagem em (Dis)curso, v. 13, n. 3, p. 463-480. set./dez. 2013.

FLEURI, R. M. Intercultura e Educação. Revista Brasileira de Educação, n. 23, p. 16-35, maio, junho, julho e agosto. 2003.

GARCEZ, P. M.; SCHULZ, L. Olhares circunstanciados: etnografia da linguagem e pesquisa em Linguística Aplicada no Brasil. D.E.L.T.A., 31-especial, p. 1-34, 2015.

GEERTZ, C. Estar lá: Antropologia e o cenário da escrita. In: ______. Obras e Vidas: O Antropólogo como autor. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2002, p.11-39.

HAMEL, R. E. El campo De las Ciencias y la Educación superior Entre El monopolio de inglés y El plurilingüismo: elementos para una política del lenguaje en américa latina. Trabalhos em Linguística Aplicada. Campinas, n. 52.2, p. 321-384, jul./dez. 2013.

KERSCH, D. O letramento acadêmico na formação continuada: constituição de autoria e construção de identidades. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 10, n. 1, p. 53-63, jan./jun. 2014.

KLEIMAN, A. B (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995. 294 p.

KLEIMAN, A. B.; ASSIS, J. A. Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita. Campinas: Mercado de Letras, 2016. 479 p.

KLEIMAN, A. B.; SITO, L. Multiletramentos, interdições e marginalidades. In: Angela B. Kleiman, Juliana Alves Assis (Orgs.) Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita. Campinas: Mercado de Letras, P. 1-59, 2016. P. 169 - 198.

LEA, M. R.; STREET, B. V. O modelo de “letramentos acadêmicos”: teoria e aplicações. Filol. Linguíst. Port., São Paulo, v. 16, n. 2, p. 477-493, jul./dez. 2014.

MAHER, T. M. A educação do entorno para a interculturalidade e o plurilinguismo. In: KLEIMAN, A. B.; CAVALCANTI, M. C. (Org.) Linguística Aplicada: suas faces e interfaces. Campinas: Mercado de Letras, 2007, p. 255-270.

MARINHO, M. Letramento: a criação de um neologismo e a construção de um conceito. In: MARINHO, M.; CARVALHO, G. T. (Org.) Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010, p. 68-100.

MIGNOLO, W, D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Traduzido por: Ângela Lopes Norte. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, n. 34, p. 287-324, 2008.

PENNYCOOK, A. Language as a local practice. London/New York: Routledge, 2010.

RAMOS, R. A. (Org.) Ser Protagonista: Língua Portuguesa, 3º ano: ensino médio. São Paulo: Edições SM, 2013.

STREET, B. Literacy in theorie and practice. New York: Cambridge University Press, 1984.

STREET, B. Dimensões “Escondidas” na Escrita de Artigos Acadêmicos. Perspectiva, Florianópolis, v. 28, n. 2, p. 541-567, jul./dez. 2010.

STREET, B.. Letramentos sociais: Abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola editorial, 2014.

STREET, B.; STREET, J. A escolarização do letramento. In: Letramentos sociais: Abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola editorial, 2014. p. 121-144.

VIAÑA, J.; TAPIA, L.; WALSH, C. Construyendo Interculturalidad Crítica. La Paz: III-CAB, 2010, p. 75-96.

WALSH, C. Interculturalidade Crítica e Pedagogia Decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In: CANDAU, V. M. (Org). Educação Intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas, 2009, p. 12-43.

ZAVALA, V. Quem está dizendo isso? letramento acadêmico, identidade e poder no ensino superior. In: VÓVIO, C.; SITO, L.; DE GRANDE, P. (Org.). Letramentos: rupturas, deslocamentos e repercussões de pesquisas em Linguística Aplicada. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2010, p. 71-95.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-31372

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.