Vozes e modalizações em competências da matriz de avaliação e em redações nota mil do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM

Aymmée Silveira Santos

Resumo


Os postulados do Interacionismo Sociodiscursivo definem que o texto, materialidade empírica das interações verbais inerentes ao meio social, é organizado por três camadas superpostas: a infra-estrutura geral do texto, os mecanismos de textualização e os mecanismos enunciativos. Considerando que os mecanismos enunciativos demonstram contribuir para a manutenção da coerência pragmática do texto, através do esclarecimento de posicionamentos enunciativos e de diversas avaliações sobre alguns aspectos do conteúdo temático do texto, o presente artigo tem como objetivos: i) Identificar em competências da matriz de avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) direcionamentos que apontam para a necessidade de utilização de mecanismos enunciativos, ii) Ressaltar a relevância dos mecanismos enunciativos para a elaboração de um texto dissertativo-argumentativo que atenda aos critérios de correção estabelecidos pelo Enem, através da verificação de vozes e modalizações em algumas redações que obtiveram nota máxima no Exame e, iii) Descrever a importância da utilização dos mecanismos enunciativos para a construção de textos argumentativos consistentes e convincentes. Através dos postulados teóricos de Bronckart (1999; 2006), Habermas (1989) etc, o trabalho teve como procedimentos metodológicos a análise de competências da matriz de avaliação do Enem e de redações que obtiveram nota máxima no Enem 2017, buscando evidenciar a sua associação com os mecanismos. Os resultados obtidos demonstraram que o gerenciamento das vozes enunciativas funciona como estratégias argumentativas, e a predominância das modalizações pragmáticas nas propostas de intervenção, presentes nas redações está associada ao caráter propositivo inerente a esta seção, exigido pelo Enem.


Palavras-chave


Redações dissertativo-argumentativas do Enem. Mecanismos enunciativos. Interacionismo Sociodiscursivo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2006.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos. São Paulo: Educ, 1999.

______. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. São Paulo, Mercado de Letras, 2006.

FARACO, Carlos Alberto. A relevância social da linguística: linguagem, teoria e ensino. São Paulo: Parábola editoria; Ponta Grossa, PR: UEPG, 2007.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006.

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. 3. ed. São Paulo: Parábola, 2009.

______. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Angela et al. (orgs.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2010. p. 19-38.

Redação no Enem 2017. Cartilha do participante. Disponível em: . Acesso em 07 de jul. 2018.

VYGOTSKY, Lev Semyonovitch. A formação social da mente. São Paulo, Martins Fontes, 1984 [1930].

Disponível em . Acesso em 07 de jul. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-11342

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.