A profissão docente representada por estagiários do curso de Letras

Pollyanne Bicalho Ribeiro, Eliane Gouvêa Lousada

Resumo


O trabalho objetiva identificar representações sociais sobre o trabalho do professor sob a ótica do estagiário. A pesquisa se baseia nos fundamentos da Teoria das Representações Sociais (MOSCOVICI, 1989; JODELET, 1989), Teoria Dialógica do Discurso (BAKHTIN, 2003, 2004), Clínica da Atividade (CLOT, 1999, 2010, CLOT & FAÏTA, 2000), e Ergonomia da Atividade (SAUJAT, 2004). Como corpus, recorremos a excertos de quatro encontros com estagiários, produzidos de duas formas: a) exposições de desenhos feitos por eles sobre a profissão docente; b) reações e discussões dos estagiários após a leitura de relatórios de estágio escritos por estudantes do ano anterior, cujas discussões foram fomentadas pela leitura de relatórios de estágio. Os resultados sinalizam, a partir das vozes mobilizadas, representações positivas sobre a profissão docente, apesar de modalizações que as relativizam, tendo em vista as adversidades expostas sobre o métier. Nas interações, atualizam-se representações sobre a profissão docente que importam para a reflexão e reformulação da prática formativa.


Palavras-chave


Profissão Docente. Representações Sociais. Prática Formativa.

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). In: Cadernos de estudos linguísticos. Trad. de Celene M. Cruz e João W. Geraldi. Campinas, São Paulo: 1990. p. 25-42.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso: enunciado, unidade da comunicação verbal. In: Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermentina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M./VOLOSHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2004.

BÉGIN, P. & CLOT, Y. L’action située dans le développement de l’activité. Activités, v. 1, n. 2, p. 27-49, 2004.

BOCH, F.; GROSSMANN, F. Referir-se ao discurso do outro: alguns elementos de comparação entre especialistas e principiantes. Revista Scripta, Belo Horizonte, v. 6, n. 11, p. 97-108, 2002.

CLOT, Y. La fonction psychologique du travail. Paris: PUF, 1999.

______. Trabalho e poder de agir. Tradução de Guilherme João Freitas Teixeira e Marlene Machado Zica Vianna. Belo Horizonte: FabreFactum, 2010.

CLOT, Y.; FAITA, D. Genres et styles en analyse du travail: concepts et méthodes. Travailler, 4 ed., 2000. p. 7-42.

GARCÍA, M. C. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

JODELET, D. Représentations sociales: un domaine en expansion. In : JODELET, D. (orgs.). Les Représentations Sociales. Paris: Press Universitaires de France, 1989.

MACHADO, A. R. O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004.

MAINGUENEAU, D. Análise de Textos de Comunicação. Trad. de Cecília P. de Souza-e-Silva, Décio Rocha. São Paulo: Cortez, 1996.

MOSCOVICI, S. Des représentations collectives aux représentations sociales. In : JODELET, Denise (Org.). Les représentations sociales. Paris: Press Universitaires de France, 1989.

SAUJAT, F. Comme les enseignants débutants entrent dans le métier. Disponível em: . Acesso em : 05 mai. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-31257

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.