Funcionalismo translinguístico e cognição: relações entre corpo e gramática das línguas

Leosmar Aparecido da Silva, Vânia Cristina Casseb-Galvão

Resumo


Este artigo tem o objetivo de fazer um estudo funcional-tipológico de alguns sistemas linguísticos para verificar como esses sistemas utilizam partes do corpo humano em sua morfossintaxe. Esse objetivo está alinhado à hipótese da mente corporificada da Linguística Cognitiva, que considera que as operações mentais e linguísticas estão ancoradas no corpo humano. Analisando o sistema dêitico, as construções indicativas de movimento e o sistema de classificadores de algumas línguas, observou-se que palavras e morfemas que indicam partes do corpo humano integram a gramática dessas línguas. Trabalhos dessa natureza, além de contribuírem para se ter acesso a dados de línguas faladas por minorias, contribuem para desconstruir teses racionalistas que dicotomizam mente e corpo.


Palavras-chave


Corpo. Cognição. Gramática.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAÇADO, J. Como é possível vivermos e convivermos em um mundo real e nos comunicarmos exclusivamente no âmbito de um universo discursivo? Alfa [online], São Paulo, Vol. 55. n. 1., P. 205-224, 2011, N. 1981-5794.

AIKHENVALD, A. Y. Classifiers: a typology of noun categorization devices. Oxford: Oxford University Press, 2000.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral I. Trad. de Maria da Glória Novak e Maria Luisa Neri. Rev. Isaac Nicolau Salum. 5 ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2005.

BORGES, M. V. Classificadores verbais em Mundurukú e Tariana. Trabalho de final de curso. São Paulo: UNICAMP, 2001.

CASASANTO, D. Different Bodies, Different Minds: the body-specificity of language and thought. Current Directions in Psychological Science. DOI:10.1177/0963721411422058, 2011.

CASTILHO, A. T. de. Gramática do Português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.

FILLMORE, C. Lectures on deixis. Califórnia: CSLI Publications, 1997.

FRANCESCHINI, D. Os demonstrativos em Sateré-Mawé (Tupí). In: RODRIGUES, A. D.; CABRAL, A. S. A. C. (Orgs.). Novos estudos sobre línguas indígenas. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2005. p. 59-68.

FURTADO DA CUNHA, M. A. Manifestações discursivas da transitividade. Revista do Gelne. v. 4, n. 2. 2002. ISSN 2236-0883. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2012.

GIBBS JR., R. W. Embodiment and cognitive science. Cambridge: CUP, 2006.

GIVÓN, T. Mind, code and context: essays in pragmatics. London: Lawrence Erlbaun Associates, 1989.

JOHNSON, M. The body in the mind: the bodily bases of meaning, imagination, and reason. The University of Chicago Press, London, 1987.

KÖVECSES, Z. Metaphor, language, and culture. D.E.L.T.A. (Revista de Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada): Metaphor and cognition. n. esp. Vol. 1, 1/2. São Paulo: EDUC, 1992.

______. Metaphor in culture: universality and variation. Cambrigde: Cambridge University Press, 2005.

______. Universalidade versus não universalidade metafórica. Trad. Maitê Gil e Tamara Melo. Cadernos de tradução. n. 25. Jul./dez. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2009. p. 257-277.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Metáforas da vida cotidiana. [coordenação da tradução Mara Sophia Zanotto]. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2002. [Primeira publicação: 1980].

LAKOFF, George. Women, fire, and dangerous things: what categories reveal about the mind. Chicago and London: The University of Chicago Press, 1987.

LE BRETON, D. A sociologia do corpo. 5 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

LEITE, Y. De homens, árvores e sapos: forma, espaço e tempo em Tapirapé. In: Mana [online]. Vol. 4. N. 2. ISSN 0104-9313. 1998. p. 85-103.

PAULA, E. D. de. Saudações Tapirapé: expressões do Teka Teka. Signótica. Vol. 21. N. 2. Goiânia: Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística/Faculdade de Letras. 2010. P. 279-304.

PRAÇA, W. N. Morfossintaxe da língua Tapirapé. Família Tupi-Guarani. Brasília, DF: Universidade Federal de Brasília (UNB), 2007. Tese de Doutorado.

REDDY, M. J. The conduit metaphor. In: ORTONY, A. (Ed.). Metaphor and thought. Cambridge: Cambridge University Press, 1979. p. 284-324.

RIBEIRO, E. R. Direction in Karajá. In: Memorias. VI Encuentro Internacional de Linguística en el Noroeste. Editoras: Zarina Estrada Fernández & Rosa María Ortiz Ciscomani. Hermosillo, Sonora (México). Editorial UniSon, 2002. p. 39-58.

SILVA, S. B. Estudo funcional-tipológico da transitividade verbal em português do Brasil aplicado ao ensino. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília: 2011.

SIQUEIRA, K. M. de F. Descrição de nomes de partes do corpo em composições lexicais na língua Akwê –Xerente. Trabalho final de disciplina. Goiânia: UFG, 2010.

TALMY, L. Toward a Cognitive Semantics. Cambridge: The MIT Press, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-6esp1247

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.