A integração dos aspectos sintáticos, semânticos e pragmático-discursivos na manifestação da evidencialidade

Cláudia Ramos Carioca

Resumo


Este artigo apresenta reflexões sobre a integração dos aspectos sintáticos, semânticos e pragmático-discursivos na manifestação da evidencialidade, em dados levantados durante a Tese de Doutoramento (CARIOCA, 2011) intitulada “A Evidencialidade em textos acadêmicos de grau do português brasileiro contemporâneo”. A análise, orientada por pressupostos funcionalistas, conta com uma dimensão teórica, voltada para a rediscussão do limite conceitual da categoria linguística evidencialidade; e uma dimensão analítica, que, em constante diálogo com a teoria, investiga, qualitativa e quantitativamente, o uso de marcas da evidencialidade nas monografias, dissertações e teses. Constatou-se que, pela integração dos aspectos sintáticos, semânticos e pragmático-discursivos, os efeitos de sentido associados ao uso de meios de expressão da evidencialidade na construção da argumentação dos textos acadêmicos de grau do português brasileiro contemporâneo colaboram para que a atenuação da responsabilidade seja feita de forma discreta, sinalizando que algo não está sendo dito de forma categórica.


Palavras-chave


Evidencialidade. Funcionalismo. Textos acadêmicos de grau. Português brasileiro contemporâneo.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, L. B. Evidentials, paths of change, and mental maps. In: CHAFE, W.; NICHOLS, J. (Eds.). Evidentiality: the linguistic coding of epistemology. Norwood, NJ: Ablex, 1986.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 2. ed. Tradução: Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997. – (Coleção Ensino Superior).

BOTNE, R. Evidentiality and epistemic modality in lega. Studies in language, v. 2, n. 3, 1997.

BYBEE, J.; FLEISCHMAN, S. (Eds.). Modality in grammar and discourse. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins, 1995.

CARIOCA, C. R. A Evidencialidade nos textos acadêmicos de grau do português brasileiro contemporâneo. Fortaleza: EDUFC, 2011.

CHAFE, W.; NICHOLS, J. (Eds.). Evidentiality: the linguistic coding of epistemology. Norwood, NJ: Ablex, 1986.

CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. Dicionário de análise do discurso. Coord. Tradução: Fabiana Komesu. São Paulo: Contexto, 2004.

DALL’AGLIO HATTNHER, M. M. Uma Análise functional da modalidade epistêmica. Revista Alfa, n. 40, 1996.

DALL’AGLIO HATTNHER, M. M. et al. Uma investigação funcionalista da modalidade epistêmica. In: NEVES, M. H. de M. (Org.). Descrição do português: definindo rumos de pesquisa. Araraquara; São Paulo: FCL/UNESP; Cultura Acadêmica, 2001. (Série Trilhas Linguísticas, 1).

DIK, C. S. The theory of functional grammar. Dordrecht: Foris Publications, 1989.

DENDALE, P.; TASMOWSKI, L. L’evidentialité ou le marquage dês sources du savoir. Langue Française, v. 102, 1994.

______. Introduction: evidentialy and related notions. Journal of Pragmatics, v. 33, 2001.

DU BOIS, J. The discourse basis of ergativity. Language, n. 63, 1987, p. 805-855.

FLOYD, R. The structure of evidencial categories in wanka quechua. Dallas: Summer Institute of Linguistics, 1999.

GALVÃO, V. C. C. Evidencialidade e gramaticalização no português do Brasil: os usos da expressão diz que. 2001. 241f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2001.

GIVÓN, T. Syntax: an introduction. Amsterdam; Philadelphia: J. Benjamins, 2001. (v. 1).

HALLIDAY, M. A. K. An introduction to functional grammar. 2. ed. London: Edward Arnold, 1994 [1985].

HENGEVELD, K. Layers and operators in functional grammar. Journal Linguistics, n. 25, 1989.

HOPPER, P.; THOMPSON, S. Transitivity in grammar and discourse. Language 56 (2): 251-299, 1980.

JAKOBSON, R. Shifters and verbal categories. Cambridge: Harvard University Press, 1990 [1957].

KOCH, I. G. V. Argumentação e linguagem. São Paulo: Cortez, 1986.

NEVES, M. H. de M. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2006.

NOGUEIRA, M. T. Considerações sobre o funcionalismo linguístico: principais vertentes. In: SEMINÁRIO DO GRUPO DE ESTUDOS DISCURSO E GRAMÁTICA, 10., 2006, Natal. Anais… Natal: EDUFRN, 2006.

NUYTS, J. Epistemic modal adverbs and adjectives and the layered representation of conceptual and linguistic structure. Linguistics, v. 31, 1993.

______. Subjectivity as an evidential dimension in epistemic modal expressions. Journal of Pragmatics, v. 33, 2001.

THOMPSON, G. Introduction Functional Grammar. Londres: Arnold Publishers, 1996.

WILLETT, T. A cross-linguistic survey of the grammaticization of evidentiality. In.: Studies in Language, v. 1, n. 12, 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-6esp1204

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0.