Busca de medida de complexidade textual numa abordagem funcionalista

João Bosco Figueiredo-Gomes, Wellington Vieira Mendes

Resumo


Desde o final dos anos 70, a busca por medidas de compreensão, de inteligibilidade e de complexidade de textos vêm interessando, principalmente, aos estudiosos de várias áreas, às instituições de avaliação de ensino e a professores de línguas no Brasil. Surgiram várias fórmulas e técnicas baseadas na estrutura do texto, além da avaliação subjetiva baseada em faixa etária e em preferências pessoais. No entanto, desconhece-se uma medida de complexidade textual que se baseie em aspectos verbais e visuais numa abordagem funcionalista. Este artigo relata uma investigação que objetiva buscar um instrumento de avaliação do nível de complexidade de textos verbais e visuais, por meio do emprego de recursos tecnológicos computacionais, baseado em categorias e princípios funcionalistas. Para tanto, tem, sobretudo, a Linguística Funcional e a Linguística de Corpus como orientação teórica e metodológica para a análise dos recursos verbais e visuais. Toma como amostra de estudo textos e provas do Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM), submetidos a uma comparação quantitativa e estatística com dados de textos de referência do Corpus Lácio-Ref (ALUÍSIO et al., 2003). A comparação quantitativa entre os corpora forneceu dados para a elaboração de fórmulas de medida que avaliam, de forma escalar, textos de língua portuguesa, a partir de três níveis de complexidade: estrutural, cognitiva e visual. Conclui-se que a proposta é de fácil acesso e que, por meio do emprego de recursos tecnológicos computacionais, pode-se prover a análise da complexidade de apenas um texto como de textos em grande monta.


Palavras-chave


Funcionalismo linguístico. Complexidade Textual. Avaliação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALUÍSIO, S.M.; PINHEIRO, G.; FINGER, M.; NUNES, M.G.V. e TAGNIN, S.E.O. 2003. The Lácio-Web Project: overview and issues in Brazilian Portuguese corpus creation. In: CORPUS LINGUISTICS 2003, Lancaster. Proceedings of Corpus Linguistics. Lancaster, UCREL: Lancaster University, 2003, p.14-21.

BERBER-SARDINHA, T. Linguística de Corpus. São Paulo: Manole, 2004.

______. Pesquisa em Linguística de Corpus com WordSmith Tools. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

BIBER, D. Variation across Speech and Writing. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

BOLLINGER, D. The form of language. London: Logman, 1977.

BYBEE, J. Language, usage and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

CAPRA; F.; LUISI, P. L. A visão sistêmica da vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas. São Paulo: Cultrix, 2014.

CIAPUSCIO, G. La terminología desde el punto de vista textual: selección, tratamiento y variación. Porto Alegre, Organon, v. 12, n. 26, p. 43-65, 1998.

______. Textos especializados y terminología. Barcelona: IULA, 2003.

DANIELSON, K. E. Readadabitity formulas; a necessary evil? Reading Horizons, v. 27, n. 3, p. 178-188, apr. 1987.

DIONÍSIO, A. P. Gêneros multimodais e multiletramento. In: KARWOSKI, A. M. et al. (orgs.) Gêneros Textuais: reflexões e ensino. Palmas e União da Vitória: Kay Gangue, 2005.

DU BOIS, J. W. Competing Motivations. In: HAIMAN, J. (ed.). Iconicity in syntax. Amsterdan: John Benjamins Publishing Company, 1985. p. 343-65.

FIGUEIREDO-GOMES, J. B. Estudo da legibilidade de livros didáticos. 1989. 50 f. Monografia (Aperfeiçoamento no Ensino de Português) – Núcleo de Estudos de Língua Materna, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 1989.

______; MENDES, W. V. Padrões de complexidade textual: uma proposta funcionalista para avaliação de desempenho de alunos do ensino médio. 2º Relatório apresentado ao CESPE/CEBRASPE. Brasília: CESPE/CEBRASPE, 2017. Documento eletrônico em formato *.pdf. 2,1 MB.

FINATTO, M. J. B. Complexidade textual em artigos científicos: contribuições para o estudo do texto científico em português. Organon (UFRGS), Porto Alegre, v. 50, p. 30-45, 2011.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; COSTA, M. A.; CEZARIO, M. M. Pressupostos teóricos fundamentais. In: FURTADO DA CUNHA, M. A.; OLIVEIRA, M. A.; MARTELOTTA, M. E. Linguística funcional: teoria e prática. Rio de janeiro: DP&A, 2003. p. 29-55.

GIVÓN, T. Syntax: A functional-typological introduction, Vol. II. Amsterdam: Benjamins, 1990.

______. Serial verbs and mental reality of event: grammatical vs. cognitive packaging. In: TRAUGOTT, E.; HEINE, B. (eds.) Approaches to grammaticalization, v.1. Amsterdam: Benjamins, 1991. p. 81-127.

______. Functionalism and grammar. Amsterdam: Benjamins, 1995.

HALLIDAY, M.A.K. An Introduction to Functional Grammar. Baltimore: Edward Arnold, 1985.

______; MATTHIESSEN, C. M.I.M. An Introduction to functional grammar. London: Edward Arnold, 2004.

HOPPER, P. J. Emergent grammar. BLS 13, p.139-157, 1987.

______; TRAUGOTT, E. C. Grammaticalization. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

GRAESSER, A. C., MCNAMARA, D. S., LOUWERSE, M. M., CAI, Z. Coh-Metrix: Analysis of text on cohesion and language. Behavioral Research Methods, Instruments, and Computers, Arizona, 36, p. 193–202, 2004.

KLARE, G.R. A manual for readable writing. Glen Burnie, Maryland: REM Company (119A Roesler Road), 1975.

KRESS, G.; van LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. 2. ed. London: Routledge, 2006.

MENDES, W.V. Mecanismos de junção em textos acadêmicos: uma abordagem sistêmico-funcional. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) PPGEL/CCHLA, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

MOLINA, O. Avaliação de inteligibilidade de livros didáticos de 1º e 2º graus por meio da técnica cloze. 1979. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1979.

PRINCE, H. F. The ZPG Letter: subjects, definiteness, and information-status. In: MANN, William C.; THOMPSON, Sandra A. (Eds.) Discourse description: diverse linguistic analyses of a fund-raising text. Amsterdam: John Benjamins, 1992. p. 295-325.

SCOTT, M. WordSmith Tools. Oxford: Oxford University Press, [2008]2012.

SHERGUE, O. Dimensão de Variação no Discurso Médico-Acadêmico: o artigo de pesquisa e a apresentação de trabalhos científicos em congressos. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). PEPLA, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.

TAYLOR, W. L. Cloze procedure: A new tool for measuring readability. Journalism Quarterly, 30, p. 415-433, set. 1953.




DOI: http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-21188

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Entrepalavras



Entrepalavras © 2012. Todos os direitos reservados.
Av. da Universidade, 2683, Benfica, CEP 60020-180, Fortaleza-CE | Fone: (85) 3366.7629
Creative Commons License
Entrepalavras (ISSN: 2237-6321) está licenciada sob Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0.